sábado, 10 de julho de 2010

Preparado para o Romance?



Já tem algum tempo que decidi parar ou diminuir consideravelmente os posts relacionados a romance aqui no blog. E a justificativa era somente uma: pude perceber o quanto essa área estava tomando uma dimensão em minha vida que não deveria tomar, o quanto ela estava virando um foco demasiado grande, uma prioridade exagerada - fosse em meus pensamentos, sentimentos ou conversas. Percebi o grande perigo que estava correndo ao deixar que minhas preocupações ou atenções estivessem tão voltadas para a área de  "Romance", ainda que com boas intenções. Percebi o quão próxima eu estava de cair num auto-engano acerca dessa área, principalmente porque muitas das minhas reflexões sobre o assunto estavam carregadas de muita emoção - e emoções são muito frágeis e passíveis de mudanças no decorrer do tempo, o que as torna um alicerce muito pouco confiável para construir qualquer coisa. Além disso, percebi como meu relacionamento com Deus estava ficando afetado, já que tantas de minhas energias e atenções estavam voltadas para o lado mais "romântico" de minha vida. Definitivamente, entendi que não deveria e que não pode ser assim. E vi os perigos reais que as muitas conversas sobre Romance podem trazer.

Pela graça de Deus, o tempo em que dei uma pausa nessa área de minha vida foi um tempo de enorme crescimento no conhecimento de Deus, de quem Ele tem me chamado a ser e de tantas outra coisas. No entanto, nas últimas semanas, voltei a olhar um pouco mais pra minha geração, pra realidade de meus irmãos em Cristo dentro das igrejas, e voltei a me deparar com o Romance - ou mais propriamente, com os perigos e enganos dele em nosso meio. E percebi que precisava voltar a escrever sobre esse tema.

De fato, não precisamos parar para observar muito os estragos que os Namoros têm feito no meio da igreja, especialmente no meio da galera jovem da igreja. O mais incrível e extremamente triste disso é que é exatamente essa galera que o Senhor tem levantado para entender os enganos que a igreja tem vivido e a necessidade de mudanças, de uma nova reforma protestante, do retornar às veredas antigas de Deus, de preparar os caminhos para a volta de Jesus... é essa galera jovem, cheia de gás, cheia de sonhos e vontade de fazer a diferença! Há algo doido no meio dessa galera! Tenho visto isso de uma forma geral nas pessoas que têm se levantado, e isso é muito bom! Porém, no meio de tanta força e determinação, o fato é que ainda existe uma área extremamente frágil e exposta: relacionamentos românticos!

Eu acho que eu mesma não queria ver a fragilidade que essa área ainda apresenta no nosso meio, em nossas vidas enquanto jovens cristãos. E a verdade é que , no meio de uma geração que vive falando sobre "Côrte", "Namoro Santo", "Santidade" e "Pureza", a maioria das igrejas, a maioria dos jovens também tem se mantido cega para essa fragilidade que ainda existe. Ela está mascarada, com uma nova capa de muitas "convicções" sobre o que não se deve fazer, mas ela continua lá: os jovens continuam entregando seus corações da forma errada, a pessoas erradas, sem compreender o real significado e objetivo do envolvimento romântico com outra pessoa, expondo seus corações a feridas que não deveriam acontecer e, pior do que isso, devotando ao romance uma atenção e energia que deveriam ser devotados a DEUS! E aí vemos jovens trocando seus planos ministeriais, seus sonhos missionários, seus projetos de viver unicamente pelo Senhor e por Seu Evangelho, ou simplesmente seu relacionamento com Deus e crescimento nEle por um Namoro, uma paquerinha ou algum sonho romântico. Isso é terrível!

E, por isso, nesse post, eu gostaria de convidá-los (e a mim também) a pararmos um pouco e refletirmos sobre nossa atual situação em relação ao romance: Nós estamos preparados para ele? Como podemos perceber se estamos preparados para um correto, saudável, puro, santo relacionamento romântico com outra pessoa?

Lembro de uma pregação do Pr. Jeff Fromholz, numa séria sobre a oração do Pai Nosso, falando do trecho "Não nos deixes cair em tentação", na qual Jeff falava quão hipócritas temos sido ao pedir que Deus não nos deixe cair em tentação, enquanto nós temos caminhado voluntariamente em direção á tentação! Nós temos nos exposto continuamente, por vontade própria, às tentações, e depois queremos pedir que Deus nos livre delas! Não é possível viver assim diante de Deus! Se nós queremos ficar livres das tentações, devemos fugir delas com todas as nossas forças, e não nos aproximar delas o quanto pudermos! Precisamos ser sábios.

Então, gostaria de propor 4 perguntas-chaves para avaliarmos como estão nossas vidas e, a partir daí, refletirmos sobre o quanto estamos preparados ou não para nos envolvermos romanticamente com alguém.

1) Como está a sua vida com Deus?
Não tenho dúvidas de que essa é a pergunta mais importante!
- Como está sua vida espiritual?
- Como está o seu conhecimento sobre Deus, sobre Quem Ele é, o que Ele espera de você, qual a Sua Verdade e como você deve vivê-la?
- Como está o seu relacionamento com Deus, o tempo que você gasta com Ele, conhecendo a Ele, aprendendo com a Sua Palavra como você deve andar nesse mundo?
- Você tem buscado encontrar o suprimento de suas necessidades emocionais, psicológicas, físicas em Deus ou nas pessoas?
- Ele tem sido a sua prioridade, o primeiro lugar em sua vida, inclusive em qualquer decisão que você tome na área de relacionamentos?
- Qual o seu nível de maturidade espiritual? Você ainda pensa, age, vive como criança espiritual, ou você tem crescido no Senhor para tornar-se um adulto, maduro na fé? Você tem se dedicado a esse crescimento?
Nós já temos coisas suficientes no mundo, em nossa própria carne, e nas armadilhas de Satanás para nos afastar de Deus - não precisamos procurar por nós mesmos mais motivos para isso! E uma coisa tenho percebido em meu caminhar com Deus: como é fácil nos distrairmos com as coisas desse mundo e esquecermos as coisas eternas! Nossa, como é fácil! Basta nos afastarmos um pouquinho que seja do que a Palavra nos ensina e logo logo estamos mais distantes do que poderíamos supor! E, se é fácil de termos as nossas atenções desviadas de Deus enquanto estamos sozinhos, procurando dedicar-nos quase que exclusivamente a Ele, tendo que lidar com as distrações do trabalho, dos compromissos seculares, da família, de maus amigos... quanto mais se estivermos envolvidos romanticamente com alguém? Não precisamos nos esforçar muito pra saber o quanto nossas atenções tendem a se voltar profundamente para um relacionamento romântico quando estamos nele. Se não tivermos a devida preparação, passamos a depender muito mais de nosso companheiro do que de Deus - em cada área de nossas vidas. E isso é extremamente nocivo para nossa vida espiritual - quando nem pudermos perceber, nossas folhas murcharão e acabaremos nos afastando mais e mais do Senhor. É preciso MUITA maturidade e firmeza em Deus, dos dois lados, para que isso não ocorra!
Olhando pra minha própria vida, como eu agradeço a Deus por não ter me permitido envolver romanticamente com ninguém até aqui! Porque eu sei, com toda a certeza, o grande risco que eu estaria correndo de nunca ter chegado até o momento que estou hoje em meu relacionamento com Deus! Eu poderia olhar para meus 6 anos de conversão e achar que já estava madura o suficiente em Deus, mas a verdade é que eu conhecia tão pouco do Senhor, da Sua Verdade, de Seu Caráter, e de mim mesma e meu destino nessa terra... e tenho certeza de que nunca estive preparada para o romance - porque a área mais importante de minha vida, minha vida com o Senhor, nunca esteve madura de fato, como ainda não está agora... ainda preciso aprender muito de Deus, ainda preciso desenvolver muito mais intimidade e dependência dEle, para estar preparada para dividir minhas atenções com um relacionamento romântico...

2) Como está o seu coração?
Eis uma questão crítica. Muito crítica! No que tenho podido observar nas pessoas ao meu redor, mesmo dentro das igrejas, o grande responsável pelos erros e desvios na área de romance são exatamente os nossos corações! Nossos corações que ainda não aprenderam qual deve ser o seu foco, em quem deve estar a sua dependência, quem deve suprir suas carências e necessidades... e tem buscado todas essas respostas em pessoas, em romances, ao invés de buscá-las em DEUS! E isso nunca vai dar certo! Muitos dos jovens que estão nas igrejas, buscando mesmo os caminhos do Senhor, já passaram por relacionamentos que não deram certo, já investiram seus sentimentos em alguém que os decepcionou, e têm trazido todas essas feridas para seu entendimento de romance segundo a vontade de Deus. Então, precisamos nos perguntar:
 - Como está o seu coração?
 - Existem coisas mal resolvidas nele? Existem relacionamentos que ainda não foram esquecidos ou tratados? Existem pessoas que você não esqueceu? Se sim, você não pode dar nenhum passo além na área de romance, antes de resolver estes problemas! O maior erro que essa geração tem cometido na área de romance é tentar solucionar as feridas de um relacionamento passado com um novo relacionamento. Isso nunca dará certo! Então, seja sincero com você mesmo e avalie se existem coisas a resolver no seu coração, seja a respeito de um relacionamento que passou ou de expectativas criadas a respeito de alguém. Não permita-se envolver com nenhuma outra pessoa antes de ter rendido isso ao Senhor e recebido dEle a resposta e a cura para isso.
 - Há quanto tempo você não se envolve romanticamente com ninguém? Qual foi a última vez que você se declarou "apaixonado" ou "amando" alguém? Há alguns meses atrás? Sinceramente, eu desconfio muito fortemente de alguém que um dia está declarando amar alguém, ou que declara estar envolvido emocionalmente com alguém, e algumas semanas ou meses depois está se envolvendo com outra pessoa. Primeiro, porque o fato é que essa pessoa sequer sabe ainda o que é o verdadeiro AMOR - pois não é possível amar alguém hoje e deixar de amá-la 2 meses depois para devotar seu amor com a mesma intensidade a outra pessoa. Não dá! Em segundo lugar, porque isso comumente denota uma carência, necessidade de suprir uma certa decepção amorosa, além de uma exposição emocional a alguém do sexo oposto e, consequentemente, um despreparo em realmente guardar o seu coração. Pense no tempo que leva para você declarar amor a alguém, para você chegar à conclusão que quer se envolver com alguém... um relacionamento baseado em Deus é algo que leva tempo para ser firmado, tempo para amadurecer, não dá pra acontecer em apenas 2 meses, um pouco menos ou um pouco mais... É preciso tempo para deixar Deus resolver todas as pendências de seu coração, e é preciso tempo para conhecer alguém de verdade e receber convicção em Deus de que essa é a pessoa que ELE escolheu para ser seu cônjuge. Avalie os tempos do seu coração.

3) Como estão seus relacionamentos?
Você já está envolvido romanticamente com alguém? Então, avalie o caminho que vocês trilharam até chegar neste ponto.
 - Como vocês chegaram até aí? Como foi a amizade de vocês até que tivessem "certeza" de que deveriam assumir um compromisso de "namoro" (ou o que seja)? Foi uma amizade baseada em emoções ou em convicções? Foi uma amizade baseada em suas próprias necessidades pessoais e suas formas de solucioná-las ou uma amizade baseada na busca pelos propósitos de Deus e Sua forma de solucionar as coisas? Existe algo a respeito de amizade entre uma moça e um rapaz que uma vez ouvi de um amigo: "Um rapaz não pode ser o melhor amigo de uma moça"! Uau!!! Que grande verdade!! Um dia desses ainda espero escrever mais sobre isso aqui, mas essa é a mais pura verdade: se sua maior fonte de amizade é uma pessoa do sexo oposto, se é com essa pessoa que você compartilha a maioria das coisas de sua vida, se é nessa pessoa que você procura conselhos e segurança, é praticamente impossível (apenas com a graça e misericórdia de Deus mesmo) que você não se envolva emocionalmente com essa pessoa, crie uma certa dependência emocional dela e acabe confundindo as coisas e caindo num auto-engano sobre um envolvimento romântico. Então, avalie se esse foi o caso até que você tomasse a decisão de "namorar" essa pessoa.
 - Qual o objetivo do relacionamento de vocês? Vocês começaram o relacionamento com CASAMENTO em mente, ou a idéia era mais "momentânea" e "casamento" pode ser uma opção avaliada depois?
 - Como vocês gastam o seu tempo juntos? Com o fim de edificar um ao outro, de levar o outro mais perto do Senhor, investindo no crescimento espiritual um do outro, ou gastam seu tempo juntos apenas (ou principalmente) com momentos "românticos" e demonstrações afetivas?
 - O que seus amigos (verdadeiros) pensam sobre o seu relacionamento? Você consultou pessoas de Deus, confiáveis e preocupadas com sua santidade e vida espiritual, antes de começar o relacionamento? O que essas pessoas pensam sobre o assunto?

4) Como estão suas convicções?
Muitas pessoas entram em um relacionamento romântico com muitas "convicções" sobre o assunto: "Eu não vou beijar até o casamento!", "Eu vou casar virgem!", "Nós vamos crescer espiritualmente juntos"... no entanto, as experiências têm mostrado que isso não é suficiente para que essas coisas venham a acontecer! Convicções e teorias sobre o romance não são capazes de nos capacitar a vivê-las na prática! Nós precisamos de DEUS, de Sua Graça, de Sua Sabedoria, de Seu encaminhamento, senão nós perecemos! E isso somente pode ser conseguido se estivermos avaliando sincera e continuamente cada uma das áreas acima mencionadas, além de muitas outras, nos arrependendo de nossas falhas e realmente permitindo que Deus esteja no controle dessa área de nossas vidas! Se nós nunca aprendemos a esperar, se nunca aprendemos a guardar o nosso coração, se nunca aprendemos a nos envolver da forma correta com pessoas do sexo oposto, se nossas emoções ainda têm um controle muito grande em nossas vidas, se ainda damos valor demasiado a elas, se não aprendemos a depender de Deus, dificilmente conseguiremos resistir às tentações. É em Deus que está a nossa força - somente Ele pode nos livrar de nós mesmos! Portanto, se não temos nEle nossa real prioridade, se não vivemos continuamente com Ele, ouvindo-O e obedecendo-O, nem mesmo as mais fortes convicções, o maior nível de conhecimento, qualquer intensidade de estudos ou retórica sobre qualquer assunto poderá nos manter firmes. Ele tem sido a sua prioridade? Ele tem controlado essa área de sua vida? Você tem ouvido a Ele antes de tomar qualquer decisão?


"E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará. Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo" (Mateus 24:12-13)
 
"Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor." (Mateus 24:42)
 
"Então todas aquelas virgens se levantaram, e prepararam as suas lâmpadas. E as loucas disseram às prudentes: Dai-nos do vosso azeite, porque as nossas lâmpadas se apagam. Mas as prudentes responderam, dizendo: Não seja caso que nos falte a nós e a vós, ide antes aos que o vendem, e comprai-o para vós. E, tendo elas ido comprá-lo, chegou o esposo, e as que estavam preparadas entraram com ele para as bodas, e fechou-se a porta." (Mateus 25: 7-10)


Precisamos vigiar, fortemente, pois vivemos em um mundo mau, no meio de uma geração corrupta, e não nos faltam armadilhas para nos fazer cair! Que o Noivo, ao voltar, não nos encontre desprevinidos e tão envolvidos com as preocupações desse mundo que nosso azeite tenha acabado sem que tenhamos percebido. Mantenhamos nossos olhos abertos, corações vigilantes, sempre unidos a verdadeiros servos de Cristo, para que sejamos encontrados firmes e perseverantes quando o amor de quase todos esfriar. Que a graça de Deus nos ajude a permanecer de pé!

3 comentários:

Adoradora de Cristo disse...

Aline parabens pelo posto! 10 estrelas!! Muito bom mesmo. Concordo ctg, por vezes, como seres humanos, despendemos demasiado tempo a pensar numa história romantica e naquilo que Deus poderá fazer, que perdemos a verdadeira essencia de alegria!! A nossa alegria nao deve estar baseada nas bençãos que Deus nos poderá presentear. Claro que sentiremos alegria ao recebe-las mas a verdadeira fonte deverá vir de um relacionamento com Cristo!

É bom sonhar, mas tambem devemos aprender a sonhar. Aprender a sonhar envolve submeter os nossos sonhos aos de Deus! E mesmo que estejamos a sonhar os sonhos de Deus em relação a esta área, jamais deveremos ocupar demasiado tempo dos nossos pensamentos a pensar nisso. Isto porque, acabaremos por ficar emocionalmente exaustos...não sei se me tas a compreender...lol.

Bem, gostei imenso do post explicaste tudinho!! felicidades e continuação de boas ferias!

Aline Ramos disse...

É verdade, amiga!! Isso mesmo.. como essa área, apesar de ser tão importante, não estou discordando disso, mas como ela pode se tornar perigosa, pode se tornar uma armadilha a limitar nosso crescimento em Deus!
Infelizmente, se não tomarmos o devido cuidado, as expectativas a respeito do romance podem se tornar ídolos em nossas vidas, da mesma forma que a própria família pode vir a se tornar um ídolo, a tomar o lugar de Deus em nossos corações - maridos se tornarem deuses pra suas esposas, esposas se tornarem ídolos a seus maridos, enfim...
A única forma de fugirmos disso é mantermos nossos olhos fixos no Senhor, dependendo unicamente dele e fazendo dEle nossa suprema prioridade. Somente Ele pode verdadeiramente guardar nossos corações e nos preparar para compartilhar nossas vidas da forma correta com outra pessoa, num compromisso de família!

Saudade de ti, amiga!!! xD Obrigada por comentar!! Beijos!

Adoradora de Cristo disse...

Exactamente amiga e irmã!

Este não é o post adequado pra falar disto mas, tens que me contar como estão as tuas férias, há algum tempo que não falamos hehe =P espero-te la no orkut, e-mail ou messenger hihih beijinhos.