sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Preparando-se para o Futuro...


Já comentei várias vezes, principalmente no meu outro blog (“Sonhando na Contramão”), sobre meu profundo desejo de, futuramente, poder me dedicar de forma integral ao meu chamado para ser fundadora de uma família e abençoadora de gerações enquanto esposa, mãe, serva de Deus e... dona de casa! A maioria das pessoas desmerece o papel da vocação para se cuidar de um lar e, infelizmente, muitas vezes, nós mesmos acabamos fazendo isso.




Há algum tempo, o Senhor tem me mostrado o quanto eu estava enganada em relação à preparação que preciso ter para este futuro que pretendo viver. E me questionou: “Minha filha, você acha que está preparada para se casar, cuidar de uma casa e, ao mesmo tempo, dos filhos que Eu lhe darei?”. E tive que pensar bem honestamente: “Bom... eu sequer consigo levantar cedo pra ajudar a arrumar a minha casa! É, Deus, acho que não!”.



E Deus foi me mostrando o quão “irreal” e “utópica” era minha imagem das futuras funções que espero assumir. Eu estava romanceando demais algo que, sim, é romântico, mas também é prático e requer muita energia, dedicação, esforço, paciência, domínio próprio, doação e mais tantas outras características que não se desenvolve “da noite para o dia”.



Então, tive que me perguntar: “Quando eu espero aprender sobre as responsabilidades dos planos que tenho feito pro meu futuro? Quando eu vou aprender a ser esposa, a ter paciência para estar com crianças (além das 2 ou 4h que fico, eventualmente, com meus primos), a administrar o cansaço, cuidar de uma casa e ainda ter que estar sempre disponível para meu marido, filhos e ministério? Quando eu me casar e “cair de pára-quedas” nessa realidade? Quando eu já não tiver alguém pra fazer tudo por mim e tiver que assumir toda essa responsabilidade?”.



E foi Deus quem me respondeu: “Não! Eu não planejei que fosse assim! Não planejei que você gastasse tanto de suas energias durante os primeiros anos de seu casamento para se adaptar a estes novos papéis, para tentar desenvolver, a qualquer custo, essas características que lhe serão necessárias! Isso, sem dúvida, lhe desgastaria, lhe traria fadiga e estresse, tirando sua paz e dificultando o meu fluir pra essa nova fase. Esse momento é para você e seu cônjuge investirem suas energias na edificação desta aliança e no cumprimento do meu propósito para seu casamento!”.



E, de forma quase automática, pude perceber que o Tempo para esta minha preparação é exatamente HOJE. Então, tive que me deparar com tantas questões em minha vida que ainda precisavam ser mudadas para que eu venha a cumprir a missão que Deus tem me dado, de abençoar as gerações: meu sério problema em acordar cedo e administrar meu tempo; minha irresponsabilidade e falta de participação com as coisas de minha casa; minha incapacidade de manter minhas coisas arrumadas ou de, pelo menos, dobrar os lençóis de minha cama ao meu levantar; a forma sem paciência como trato as crianças quando estou cansada e elas querem brincar; a falta de submissão a meus pais quando estou chateada com eles; o fato de que praticamente não sei cozinhar, entre tantas outras coisas.



E percebi: “Puxa, Deus! Realmente não vai adiantar eu apenas estar bastante apaixonada pelo meu esposo para superar todas essas deficiências!”. É como na formação profissional: você pode ter toda a teoria possível de cor e salteado, se não conseguir pô-la em prática, se não treina, não se exercita, é bem provável que não tenha muito mérito! É muito comum ver pessoas que nunca fizeram uma faculdade mas, pelos anos acumulados de prática em algum assunto, são muito mais capacitadas pra realizar determinada atividade do que alguém que estudou 4 ou 5 anos mas nunca praticou.



Nesse ano de 2009, cresci MUITO em conhecimento e revelação de Deus a respeito de família, abençoar as futuras gerações, exercer meu papel de Mulher, mas ainda não estou pronta... falta-me a prática! Viver tudo isso dia-a-dia. E isso precisa começar a acontecer HOJE!



Então, o Senhor me fez entender algo “incrivelmente incrível” e cheio de Sua Infinita sabedoria: Ele já preparou o contexto ideal para este nosso “treinamento prévio”. Alguém supõe que contexto é esse??? [...] Sim! Nossa FAMÍLIA, é claro!!!



Deus nos colocou em uma família, uma casa, com autoridades que estão sobre nós, com problemas a serem solucionados (que, geralmente, são ignorados), com pessoas dos mais variados tipos... Colocou figuras de homens, através dos pais e irmãos, na vida de cada mulher, com as quais elas poderão treinar sua convivência com seus futuros maridos... Colocou mulheres – mães e irmãs – na vida de cada rapaz, para proporcionar-lhes a chance de compreender as mulheres e exercitar o cavalheirismo, a arte de ouvir, a paciência com os dramas e o aprender com a capacidade delas de enxergar os problemas sempre com antecedência... Colocou crianças, em forma de primos, sobrinhos ou irmãos, para praticarmos a paciência e o dom de amá-las, mesmo cansados, e discipliná-las em amor... Colocou pessoas que nos estressam, que pensam diferente de nós, que sempre criticam, que fazem tudo errado, que não sabem demonstrar amor, para que aprendamos o Verdadeiro Amor – incondicional, paciente, benigno, que não busca seus próprios interesses, tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta...



Enfim! Como Deus foi maravilhoso ao nos colocar em um lar! Não importa se ele é “bom ou não”! Todos nós que temos a dádiva de dividir um espaço, uma casa, com outros membros de nossa família, temos a oportunidade de nos prepararmos, através de nossa convivência com eles, para o momento em que fundaremos nossas próprias famílias!



Quem nunca ouviu aquele ditado: “A forma como um rapaz trata sua mãe, é a forma como ele tratará sua esposa” ou “A forma como uma moça trata seu pai, é a forma como ela tratará seu esposo”? Quanta verdade há nisso! Como eu posso esperar, enquanto mulher, ser submissa em amor ao meu marido se nunca o fui, ou não o sou com freqüência, ao meu pai? Como podemos esperar que um rapaz tenha a capacidade de amar sua esposa da mesma forma como Cristo ama a Igreja, se ele não o faz com sua mãe e/ou irmã(s), se não tem paciência ou disponibilidade para ouvi-las, para honrá-las, protegê-las, passar tempo com elas, etc? Como podemos esperar tratar nossos filhos sempre com amor e paciência, se não agüentamos estar 5 horas com uma criança que quer brincar de tudo após nosso período de trabalho ou estudo, quando o corpo só pede cama e descanso? Como esperamos sempre reagir no espírito com nossos cônjuges ou filhos, se não conseguimos fazê-lo hoje com as pessoas difíceis com as quais temos que conviver, aquelas que nunca nos entendem, sempre discordam de nós, nos magoam e chateiam e parecem ser totalmente incapazes de amar verdadeiramente? Ou será que imaginamos que nossos esposos(as) e filhos estarão sempre perfeitamente bem, nunca terão dias estressantes, nunca discordarão de nós e farão coisas erradas, que nos magoem ou chateiem?



Rapazes, vocês já se dispuseram a amar suas mães ou irmãs quando elas estão em uma crise de TPM (Tensão Pré-Menstrual), e tudo as irrita profundamente, e nada as deixa satisfeitas e elas reclamam o dia inteiro??? Bom, sugiro que vocês comecem a treinar isso hoje, afinal, um dia vocês casarão com mulheres, não é? E vocês correm um grande risco de ter que passar o resto da vida lidando com esta síndrome mensal! Ou vocês serão mais uns no meio dos homens que simplesmente dizem que “isso tudo é frescura”? (Será que vocês não têm dito ou pensado isso a respeito de suas mães, irmãs, primas, tias, etc?).



Então, há cerca de um mês, eu acho, desde quando comecei a ser ministrada a respeito disso tudo, tenho procurado começar meu treinamento a cada dia! Na minha família, eu e meus irmãos nunca precisamos nos preocupar com as questões de casa (a não ser em alguns eventuais fins de semana, ou férias na praia), pois sempre houve uma secretária em casa fazendo isso tudo. Mesmo minha mãe nunca se ocupou muito com essas coisas. Quem mais cuida de tudo isso, em minha casa, é meu pai. É ele quem providencia o almoço, precisa repor o que está faltando, compra as coisas pro café da tarde, o leite, o açúcar, e todo o resto. Se ele não o faz, ninguém faz! E isso é algo que o estressa bastante, porque, além dessas responsabilidades, ele ainda tem muitas outras, especialmente por ser o único que dirige em casa. Isso era algo que o sobrecarregava muito mesmo!



Então, resolvi me comprometer com meu pai de acordar mais cedo todos os dias e ajudá-lo a providenciar as coisas para dentro de casa: ir ao supermercado fazer as compras da semana ou do mês, ir ao açougue comprar carne, orientar a secretária de casa quanto às coisas que precisam ser melhoradas, especialmente de acordo com o que meus pais gostam... enfim! E essa tem sido uma experiência excelente! É realmente muito bom estar, além de ajudando meu pai, cuidando das coisas de casa! Através disso, nossa alimentação tem se tornado muito mais saborosa e saudável, a senhora que trabalha em casa está muito mais motivada, porque sempre inventamos alguma coisa nova pra fazer, meus pais estão mais satisfeitos com a alimentação, e eu estou aprendendo a administrar muito melhor meu tempo e minhas energias!



Outra experiência interessante, e que eu ignorava bastante, tem sido minha convivência ao cuidar de crianças. Pessoalmente, eu AMO crianças! Sou fascinada por crianças e, acho que em função disso, elas também costumam gostar muito de mim. E, na minha família, até que tem umas quantas crianças – de forma mais rotineira, convivo com cerca de 4 primos pequenos, de 3, 5 e 6 anos, em média. Eu os amo mesmo! Gosto muito de estar com eles. Mas, ainda assim, sabe aqueles momentos em que estamos cansados ou estressados com alguma coisa, e só queremos dormir? Alguém já teve que lidar com uma criança de 5 anos pedindo insistentemente pra você brincar de “pira-alta” com ela?? rsrs... Tenho uma priminha, minha filha, Gabrielly, de 5 anos, que tem uma energia que não acaba nunca! Ela sempre tem alguma idéia nova de brincadeiras ou coisas pra fazer! Especialmente por passar muito tempo sozinha em casa, porque seus pais trabalham o dia inteiro, quando tem uma pessoa pra dar atenção a ela, essa pessoa é literalmente explorada! hehehe... Ela quer dançar, correr, se esconder, contar histórias, ouvir histórias, brincar de jogo da memória, de escolinha, de amarelinha, assistir DVD (o mesmo filme sempre!), e mais um milhão de coisas! Puxa, a Gabrielly é minha princesinha, amo-a como se fosse minha filha mesmo, mas minhas energias não chegam à metade da dela! Tem horas que não agüento mais ouvi-la falando de tantas e tantas e tantas coisas! E, quando ela está comigo, não quer deixar eu falar com mais ninguém! A atenção tem que ser TODA dela! E, então, o Espírito Santo me mostra o quanto ainda preciso exercitar minha paciência com as crianças (ainda que eu seja mais paciente com elas do que 99% das outras pessoas!). E é isso que tenho buscado! Passar tempo com as crianças, aprender a ouvi-las, honrá-las, abençoá-las e amá-las em qualquer circunstância. Tenho percebido que, ainda com todo o amor que tenho por elas, isso é algo que preciso aprimorar ainda bastante!



Enfim, estes são apenas alguns exemplos de coisas que preciso aprender ainda, para viver o Futuro que tenho planejado. É fácil dizer que iremos amar nossos cônjuges com todo nosso amor, que queremos ter 10 filhos, que queremos cuidar pessoalmente de nossas casas... mas essas não são coisas tão simples assim! São questões que precisarão de muita de nossas energias, é uma arte que precisa ser desenvolvida exatamente HOJE, para ser vivida com excelência daqui a alguns anos!


Então, vamos lá, e que o Senhor nos ajude!


Shalom!! :)


segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Modéstia Adolescente e o Belo







Por Douglas McManaman

Traduzido e adaptado por Andrea Patrícia

Uma batalha sempre começa quando eu lembro aos meus alunos que eles têm responsabilidade pela forma como se vestem.

Eles tendem a concordar que mostrar-se em um funeral vestindo calças suadas, tênis, e uma camiseta Nike é algo insensível e impensado, como seria vestirem roupas semelhantes em um casamento.

Mas, se admitirmos isso, então nós aceitamos o princípio de que o nosso traje expressa uma disposição interior. Obviamente eu não estou terrivelmente entristecido com a morte da pessoa cujo funeral eu optei por participar vestindo roupas de corrida, e não estou particularmente preocupado com que os parentes em luto possam ter precisamente essa impressão.

Mas é mais difícil de levar os jovens a reconhecer a responsabilidade de vestir “adequadamente” no dia-a-dia, nos feriados e fins de semana, especialmente nos dias “casuais” * da escola. Simplesmente não há qualquer acordo sobre o que é considerado inadequado e o que não é. É verdade que o que é apropriado é um pouco relativo e flexível. Então deixe-me tentar oferecer alguns princípios que não são tão relativos, de modo a mais facilmente determinar se as atuais tendências são consistentes com a virtude da modéstia.

Modéstia de vestuário é uma restrição razoável na escolha da roupa. É uma parte da temperança, que é a razão pela qual nós moderamos os prazeres sensoriais de acordo com a razão. E desde que a virtude é uma marca de excelência, a temperança é principalmente sobre os prazeres que se sobressaem**, ou seja, os prazeres mais intensos. Acontece que os prazeres mais intensos estão associados com as atividades ordenadas para a preservação da vida humana individual e da espécie como um todo. Estes, naturalmente, são comer e beber (individual) e atividade sexual (espécie).

A adolescência é sempre difícil, mas acho que ser adolescente é mais difícil hoje do que era para mim por conta da cultura global em que os adolescentes são forçados a crescer. Deixe-me explicar. O hedonismo é a escola filosófica de pensamento que se refere à busca do prazer e a minimização do desconforto como objetivo principal e único significado da vida humana. Pode-se sempre encontrar pessoas ao longo da história que foram devotas do hedonismo dentro de uma cultura largamente não hedonista. Mas hoje, a própria cultura é hedonista. Conseqüentemente, os adolescentes não podem mais contar com a atual cultura para ensinar e transmitir, mesmo em traços gerais, o que constitui um caráter nobre, ou os princípios básicos da moralidade. E a temperança é considerada inútil em uma cultura hedonista. Por que moderar os maiores prazeres, principalmente o prazer sexual, quando o prazer é o que a vida é essencialmente falando? A existência humana tornou-se uma busca do orgasmo perfeito e tudo o mais que seja propício a esse fim, então por que preocupar-se com moderação? Essa noção só pode aparecer arbitrária e arcaica.

Mas para nós, a vida humana não é uma busca do orgasmo perfeito, mas uma busca para o bem perfeito, que é o próprio Deus. Desse ângulo, a vida é uma busca de algo superior e maior do que o ser, não mais baixo, e o prazer é mais baixo e menor do que o ser. A instituição do casamento, o bem comum, e o próprio Deus, porém, são maiores. A sexualidade humana, se é que ela é plenamente humana e ainda plenamente válida, deve ser assumida e elevada para atender a esse propósito maior. Isto é feito quando o sexo se torna expressão de um casamento e da generosidade que constitui uma família.

A razão pela qual nós vemos hoje em dia cada vez menos pudor – ou, mais e mais imodéstia – na publicidade e televisão em horário nobre é que mais e mais pessoas hoje são simplesmente destemperadas, ou para ser mais específico, impuras e, como o vestuário exprime uma disposição interior, não é nenhuma surpresa que a imodéstia do vestuário tenha se tornado de alguma forma a regra. Se uma pessoa está descontrolada por dentro, ela será descontrolada por fora. O comportamento sexual promíscuo irá vestir a parte. Assim também, a moça emocionalmente insegura que tem uma necessidade de ser desejada pelos homens se veste de maneira que faça o olhar deles se voltar para ela.

A adolescente que não é sexualmente promíscua, nem tão emocionalmente insegura quanto à necessidade de ser o objeto de desejo masculino, não vai querer que seu vestuário expresse a disposição em contrário. Como os estudantes estão acostumados a dizer com relação a tudo os que os adorna, “Isso é quem eu sou.” E assim, como diz o ditado, “Se ele se parece com um pato e grasna como um pato nós temos, pelo menos, que considerar a possibilidade de termos um pequeno pássaro aquático da família Anatidae em nossas mãos.” Da mesma forma, se alguém parece, anda e soa como uma promíscua… Mas se não é isso que ela é e não há nenhuma impureza interior que corresponda ao seu vestuário imodesto, a garota deveria corrigir sua maneira de vestir, falar, e de modo particular, o seu jeito de ser a fim de que eles se tornem uma expressão mais honesta e mais exata de quem ela é.

É difícil convencer jovens garotas que não há nada bonito sobre trajes indecentes. Isso manifesta imaturidade emocional e psicológica, e fala de uma preocupação excessiva com si mesma. Aquino assinala que “a beleza do corpo consiste em um homem ter seus membros do corpo bem proporcionados, juntamente com certa clareza de cor. Da mesma forma a beleza espiritual consiste em que a conduta ou ações de um homem sejam bem proporcionadas em relação à clareza espiritual da razão”. A virtude da modéstia envolve contenção na forma como uma pessoa se veste de forma a refletir a moderação e contenção que é interior e idêntica à virtude da temperança. A temperança é bela porque se trata de um amor moderado e bem proporcionado de si mesmo. Assim também é a modéstia. O egoísmo, ao contrário, é sempre feio.

Por último, aqueles que se vestem sem modéstia irão atrair a atenção de certo tipo de pessoa. O que você tem que se perguntar é quem é que você deseja atrair: aqueles com olhos para a beleza real? Ou, aqueles em que majoritariamente têm olhos apenas para o erótico? Uma mulher vestida modestamente não é atraente para o sórdido olhar do homem destemperado, e uma mulher vestida indecentemente não é atraente para os moralmente belos. A virtude não exige que você se vista como a tia solteirona de Moose Jaw, mas se o seu umbigo está aparecendo, ou se o seu short é cortado tão curto de modo a expor uma parte de suas nádegas, ou se suas calças são tão apertadas que você tem dificuldade para caminhar e seu peito parece uma fruta embrulhada toda apertada em celofane, você pode se encontrar namorando alguém que será uma fonte de dor de cabeça constante e frustração, em suma, um perdedor. Há muitos deles por aí hoje. Caso você não tenha notado, a nossa cultura se tornou muito adepta de produzi-los em larga escala.

.................................................................................

O Autor:

Douglas McManaman é um professor de religião do ensino médio na York Catholic District School Board em Ontário. Ele atualmente ensina na Father Michael McGivney Catholic Academy em Markham, Ontário e mantém um site, A Catholic Philosophy and Theology Resource Page, que dá suporte aos seus alunos. Ele estudou filosofia no Colégio de S. Jerônimo, em Waterloo, e Teologia na Universidade de Montreal. O Sr. McManaman é atualmente o presidente do capítulo canadense da Fellowship of Catholic Scholars.

.........................................................

Notas da tradutora:

*No original “civies”. Relaciona-se aos dias nos quais os alunos podem usar o que quiserem e não propriamente o uniforme.

**Aqui o autor faz um jogo com as palavras “excellence” (excelência, perfeição) e “excel”, (sobressair, notabilizar-se).

O grifo é meu.ida

 

sábado, 10 de outubro de 2009

Modéstia V: Pertencer a Deus



Texto novo, traduzido do site "The Rebelution", do conjunto de textos publicados por eles na pesquisa "Modesty Survey" (Pesquisa de Modéstia).

..................................................................................................

Modéstia - por The Rebelution

O artigo a seguir, de Nancy Leigh DeMoss, foi transcrito a partir de um trecho do programa de rádio “Revive Our Hearts”, em maio de 2005.

Antes de entrar na especificidade do que é certo vestir, o que é errado vestir, o que parece modesto, o que parece imodesto, nós precisamos estabelecer um fundamento. Vou dizer-lhe que o ponto de partida para todos nós precisa responder a pergunta: "Por que eu vivo?"

Qual é meu propósito na vida? Você sabe a resposta: para glorificar a Deus. “Então, quer você coma ou beba ou o que quer que faça, faça tudo para a glória de Deus". Este é o princípio fundamental na vida e nós deveríamos buscar o lugar onde pudéssemos dizer, "Meu objetivo na vida é agradar a Deus ao invés de agradar aos outros".

Temos de ir para o lugar onde nós reconhecemos que o nosso objetivo final, o nosso principal e supremo objetivo de vida é fazer Deus feliz.

[E] Isso afeta tudo nas nossas vidas, incluindo o assunto do vestuário. Afeta as nossas motivações. Por que estou vestindo isso? Porque é que gosto desta roupa? Porque é que gosto desta aparência? Será que é porque eu quero me “enquadrar”? Será que é porque eu quero ser aceito, quero ser legal, popular?

Você vê, se eu me determino a viver a minha vida para a glória de Deus, isso afetará o por quê eu visto o que visto. Isso me fará pensar sobre o que eu visto, ao invés de simplesmente ir até a loja e pegar o que quer que esteja na moda.

O princípio da Propriedade

O princípio da propriedade significa que meu corpo não pertence a mim. Ele não é meu. Agora, nos últimos trinta anos, nós tivemos uma grande ênfase no que diz respeito ao direito da mulher sobre seu próprio corpo. É o seu corpo, você faz o que quiser com ele.

Algumas garotas têm levado essa filosofia ao extremo e têm abusado de seus corpos com transtornos alimentares, abuso de substâncias, drogas e álcool. É o meu corpo, eu posso destruí-lo. Eu posso jogá-lo no lixo. Sabe, como é triste pensar sobre como algumas meninas consideram seus corpos baratos.

Mas, reconhecer o princípio da propriedade é reconhecer que o meu corpo não é meu. Não é meu, ele não pertence a mim (1 Coríntios. 6:19).

Sabe, não faz Deus feliz quando você e eu pegamos os corpos que Ele nos deu e os entregamos a alguém a quem eles não pertencem. Uma mulher vestida de forma imodesta está entregando algo que não pertence a ela. Este princípio da propriedade significa que você e eu não estamos livres para nos vestir de qualquer forma que nos agrade.

Estamos perante Deus. Ele nos possui, e se você não for um filho de Deus, você não vai gostar deste princípio. Na verdade, você não vai gostar de nenhum desses princípios se não pertence ao Senhor.

Mas se você é um filho de Deus, você vai encontrar grande conforto e segurança no fato de que você pertence a Deus, que seu corpo é dEle. Isso significa que você pode confiar que Deus vai cuidar bem de Sua propriedade. Também significa que você tem a responsabilidade de cuidar dele.

O Princípio do Senhorio

Jesus é o Senhor de tudo. Propriedade e, em seguida, Senhorio. Romanos 14:9 nos diz: "Por esta razão Cristo morreu e retornou à vida para que Ele possa ser o Senhor tanto dos mortos quanto dos vivos."

Você sabe o que significa quando dizemos que Jesus é o Senhor. Significa que Deus tem o direito de regulamentar todas as áreas da nossa vida, incluindo o que vestir.

Então, quero lhe perguntar, "Quem dirige a sua vida? Quem é o vosso Senhor?" A maioria de nós, diria,"Jesus é o meu Senhor". Mas quando isso diz respeito ao que vestir, quem é o seu Senhor?

Você é regido pela moda? Você é regido pela cultura? Você é regido pelas opiniões de seus amigos ou você é regido por Cristo e Sua Palavra? Quem é o vosso Senhor? Você vê, você e eu não devemos ser escravizados por nada nem ninguém, exceto Jesus – ter qualquer Senhor além dEle é ser um escravo.

As mulheres que adotaram a filosofia do mundo a respeito da moda e do vestuário não são livres. Você nunca será verdadeiramente livre até que você esteja livre para fazer o que Deus quer que você faça, independente do que algo ou alguém lhe impõe.

Encerrando o Desafio

Posso perguntar, com base nesses princípios, "Você está disposta a fazer qualquer mudança que seja necessária em qualquer área da sua vida, incluindo o vestuário, a fim de viver esses princípios, viver sob a propriedade de Deus, sob a senhoria de Jesus Cristo e como um cidadão do reino dos céus?".


SHALOM ADONAI! :)

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Modéstia IV: A Beleza da Feminilidade


Este texto foi postado, originalmente, no meu blog "Sonhando na ContraMão", já há algum tempo, e nele conto algumas experiências pessoais com Modéstia, apesar de muitas delas já se encontrarem bem adiantadas atualmente. Porém, estou postando-o novamente aqui para que as pessoas que acompanharem o Mulheres Virtuosas possam compreender melhor a evolução dos acontecimentos e, quem sabe, isso possa facilitar a abordagem do assunto Modéstia e Feminilidade. Futuramente, espero estar postando informações mais atuais sobre este assunto em minha vida pessoal.



Aproveito a oportunidade para estar agradecendo aos nossos 2 primeiros seguidores: "Paulo César" e "Adoradora de Cristo" por suas presenças conosco! Peço também perdão por não termos mais atualizado o blog, porém estarei de forma mais frequente neste espaço dedicado a honrar e engrandecer ao Senhor. Contamos com suas opiniões e comentários quanto à restauração do papel da Mulher de Deus neste nosso século!



Que Adonai nos abençoe a todos e mantenha nossas mentes e corações abertos para receber a Sua Verdade Eterna!



Shalom! ;)

**Aline**



...................................................................................................



Bom, todos já sabem, este é um post para as GAROTAS!!!



E hoje eu gostaria de falar sobre algo completamente voltado para nós e a respeito de nós – a Feminilidade!



Quando comecei a entender sobre modéstia, a feminilidade não estava incluída no pacote. Comecei a me deparar com este termo através dos sites da Miss Jocelyn e companhia (aliás, uma moça e uma família que têm servido como exemplo de vida cristã para mim!). No entanto, eu ainda não havia entendido, na prática, a essência e a importância sobre a Feminilidade.



Como escrevi no post passado, eu não sou (“era?”) de me arrumar muito durante a minha rotina. Havia um entendimento errôneo (que só percebi agora) em mim quanto a “Beleza”. Era como se houvesse uma incompatibilidade entre “Modéstia” e “Beleza”, porque é como se, ao expondo sua beleza em aparência, você chamasse atenção para si mesma e, com isso, deixasse a modéstia de lado. Portanto, eu absolutamente procurava esconder o máximo possível a “beleza” nas minhas roupas.



Porém, nos últimos dias, tenho entendido que Modéstia e Beleza não precisam, necessariamente, andar separadas, desde que descubramos a Verdadeira Beleza de uma moça – a Feminilidade! Puxa, tenho compreendido que Feminilidade é uma grande bênção de Deus em nossas vidas enquanto mulheres!



Deixem-me explicar...



Como eu tinha mencionado no último post sobre modéstia, eu estava esperando ansiosamente para experimentar a aventura das “saias”!! =P~ Então, finalmente, já há quase uma semana (desde a quinta-feira, dia 09 de abril), eu tenho vivido esta experiência maravilhosa!!! E tenho descoberto a beleza da feminilidade através da Modéstia existente nas saias (as modestas, obviamente!)! Usar saias tem sido absolutamente incrível! Não tenho a menor dúvida de que esta é a opção mais modesta para uma garota estar usando!



É interessante que, antes de me permitir ser ministrada e transformada por Deus neste aspecto de modéstia, eu nunca (ou muito raramente) tinha usado saias. Eu costumava usar vestidos (os quais foram transformados nas saias!! hehe), mas saias não! Não sei, eu não me sentia confortável com elas e, inclusive, questionava o seu uso nas igrejas tradicionais. Por que elas eram mais cristãs do que as calças? Eu sequer considerava muito a possibilidade de usar saias (a não ser as compridas até o pé, que eu sempre achei muito legal!)...



No entanto, hoje me sinto totalmente diferente em relação às saias! E entendo que me sinta assim por um único motivo: ter entendido a Modéstia e sua importância, e estar vivendo isso através desta experiência de agora! Meu sentimento em relação às saias mudou porque meu entendimento, meu espírito e minha motivação mudaram! Desde quinta-feira tenho explorado as poucas saias que tenho!! hehehe... Se pudesse, pra todo canto que vou, e mesmo dentro de casa, estaria usando-as (o que tenho tentado fazer o máximo possível!).



É um sentimento muito diferente e realmente bom! Posso entender que Deus nos fez mulheres com um propósito, e nossa feminilidade pode sim ser uma benção nas vidas dos rapazes e das outras moças!!! Tenho visto o quanto posso me sentir bonita e respeitável, e agradável aos olhos de Deus, através da minha feminilidade! Isso é muito lindo!



Infelizmente, nem todas as pessoas entendem dessa forma! A sociedade e nossa cultura de contra-valores têm embutido nas mentes de todas as pessoas um padrão totalmente diferente de vestimenta. Modéstia tem sido um desafio diário em minha vida! Eu sei que é como eu quero viver, cada vez melhor, julgando a mim mesma em cada momento para saber como posso melhorar. No entanto, não faltam pessoas para criticar e dizer que você está ficando “louca” por causa disso! Infelizmente mesmo, tenho ouvido críticas mesmo de minha mãe e irmã sobre minhas escolhas de vestimenta. Mas o Espírito Santo sempre está lá, me alegrando todas as vezes que me olho no espelho, me dizendo: “Você está linda!”... e é isso o que importa: estar linda aos olhos do Senhor!



Há dois dias estou tendo aulas da pós-graduação, e resolvi testar o uso das saias lá também... A turma é composta quase totalmente de mulheres, só tem 2 homens, e foi incrível ontem, quando cheguei com minha saia e minha blusa modestas na aula!!! rsrsrs... A maioria das pessoas tinha estudado comigo durante o ano passado, e quase todos me conheciam de muito tempo, e estavam acostumados a me ver com meu visual “largado” ou minhas roupas imodestas... Então, parece que houve um choque na atmosfera quando entrei na sala!!! hehehe... eu estava muito feliz por estar indo a um lugar como aquele, com tantas pessoas conhecidas, vestida modestamente! E havia algo incontestável: eu me sentia absolutamente distinta de todas as moças que estavam naquele lugar (de todas as que encontrei na faculdade!)! Eu me sentia mesmo separada, diferente, e isso de uma maneira muito agradável e confortável! Eu quase podia ver o sorriso de Deus ao confrontar as vidas daquelas moças com o meu jeito de vestir!



Interessante que, quando cheguei, uma das minhas amigas mais próximas da turma estava na sala, eu sentei na cadeira atrás dela, e no mesmo instante ela virou pra mim e disse: “Incorporou mesmo foi?”... eu só fiz rir, tentando entender exatamente o que ela estava querendo falar.. rsrs ... até que nossa outra amiga próxima chegou na sala, sentou na cadeira ao nosso lado, virou pra mim e disse: “Aline, o que foi que aconteceu”?? hehehe ... então, depois, a primeira amiga disse pra ela: “É que ela incorporou o espírito de professora agora!”.. =P~ Minha imagem foi instantaneamente modificada de “moleca” para “mulher responsável” somente pela roupa que eu estava vestindo!!! Elas não entendem absolutamente nada de modéstia, mas aquilo as chocou demais, eu podia sentir isso!!! E é isso o que o Senhor quer que façamos neste mundo, que questionemos os padrões deste mundo com nossas próprias vidas, que mostremos que existe um padrão mais alto e muito mais bonito!



Puxa, meninas, viver a Modéstia e, agora, a Feminilidade tem sido algo tremendamente maravilhoso em minha vida espiritual e como Filha de Deus! Tenho podido me sentir uma verdadeira Princesa, nobre e cheia de honra e pureza, com um preço inestimável! Encorajo-as TODAS a também viver estes princípios de Deus em suas vidas e a descobrir uma nova concepção, um novo entendimento e vivência do que é ser uma Mulher de Deus!!!



E também encorajo-as a deixar as calças jeans de lado e experimentar a beleza das saias modestas!!! (Lembrando que elas precisam ser realmente modestas, tomando cuidado com as dicas da Miss Jocelyn descritas no nosso post Modéstia II, como não usar saias transparentes, acima do joelho – mesmo enquanto sentadas, e sempre com blusas modestas, além de todos os outros)... Vocês provarão grandes bênçãos!!!



Com amor, sua irmã em Cristo...



Aline.

sábado, 18 de julho de 2009

Modéstia III: Uma discussão

Sugiro que você leia os textos anteriores a respeito de Modéstia, antes de ler este, pra que você possa entender a discussão proposta...

Na verdade, os textos que estou postando inicialmente sobre Modéstia são textos um pouco antigos, os quais postei no meu blog principal (http://www.sonhandocontramao.blogspot.com/), porém resolvi reuní-los todos aqui no "Mulheres Virtuosas". Justamente por isso, como eles estão organizados numa sequencia cronológica, o mais indicado é que eles sejam lidos na ordem... De qualquer forma, fique à vontade!
........................................................

Bom, na verdade, vou falar um pouco o que penso, pessoalmente, a respeito de Modéstia. Ou seja, não vou falar de coisas que acho que sejam regras ou qualquer forma de legalismo, afinal de nada servem regras se não há a motivação correta em seu coração. Todas as coisas precisam começar primeiro em nossos corações, para depois se tornarem verdadeiras e válidas exteriormente.

Domingo passado eu estava no culto e ouvi uma passagem bíblica que, instantaneamente, me remeteu à nossa discussão sobre modéstia e me deixou muito feliz, porque é exatamente o que penso a respeito, não apenas sobre modéstia mas sobre todo e qualquer sacrifício ou decisão árdua que precisamos tomar para vivermos o caráter e a vontade de Deus em nossas vidas. Esse versículo é muito conhecido para os momentos de oferta, e eu nunca havia entendido a sua profundidade além disso, mas ela realmente é bem mais profunda:

I Coríntios 9. 6-7: “E isto afirmo: aquele que semeia pouco pouco também ceifará; e o que semeia com fartura com abundância também ceifará. Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade (obrigação); porque Deus ama a quem dá com alegria”.

Eu acredito que isso resuma tudo: “Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por obrigação”. Não se trata de regras que nós devemos seguir, mas do quanto iremos oferecer de nós mesmos, e do quanto ceifaremos a partir daí.

Falando um pouco sobre os comentários do último post...

Quando eu era adolescente, antes de entender o chamado de Deus pra minha vida e a minha verdadeira Identidade como Filha de Deus, eu me preocupava muito em “me sentir bonita”. Queria sempre ser admirada por minha “beleza física”, e me sentia muito bem ao pensar que as pessoas (principalmente os rapazes) ficavam observando minha aparência física. Isso me influenciava na escolha de minhas roupas e também muito em meu comportamento, em minha forma de me relacionar com os rapazes e na imagem que eu tinha de mim mesma.

Hoje penso de uma forma completamente diferente. Não sei exatamente desde quando meu pensamento mudou, mas acredito que tenha sido desde quando aceitei Jesus, o momento em que minha Identidade foi restaurada, em que entendi que não precisava ficar procurando ser como as pessoas esperavam que eu fosse e que eu era muito importante pro Senhor, a Sua Filha preciosa. Hoje, com toda a sinceridade, a última coisa que quero são os olhares de rapazes observando minha “beleza”. Hoje não preciso, e nem quero, me sentir “bonita”, no que diz respeito ao meu jeito de me vestir, ou à maquiagem ou coisas referentes a aparência física. É claro que ultimamente, desde quando tomei conhecimento sobre Modéstia e tenho sido ministrada nesse assunto, isso tem ficado ainda mais forte em meu coração. Mas, graças a meu Senhor, tenho entendido que não preciso “ser” ou parecer “bonita”, aparentemente, aos olhos das pessoas, especialmente dos rapazes, o que preciso (e desejo) é ser reconhecida por meus valores, meus ideais, meu caráter como filha e serva de Deus. Eu simplesmente detesto quando sequer imagino que algum rapaz está olhando para mim e observando minha aparência física. Isso me deixa completamente abalada. Não gosto disso! Não gosto de ser olhada dessa forma! Não quero que nenhum rapaz me olhe assim.

Acho que em função disso meu jeito de vestir é muito, digamos, “largado”. =P~ No meu dia a dia, nas atividades rotineiras, eu não sou de me arrumar muito, não costumo “me produzir” demais, muitas vezes ando até meio “bagunçada”. =P~ Isso chega a ser meio hilário algumas vezes pela forma como as pessoas nos olham com desdém em função da roupa que estamos usando ou da forma como nos “produzimos”. Eu só faço rir!!! Na verdade, muitas vezes rio muito, como quando estou numa loja chick e todo mundo fica olhando porque não estou toda arrumada como todo mundo! hahaha... De certa forma, acho que me visto assim, de uma forma meio “desligada”, até certo ponto para impactar e confrontar mesmo essa cultura em que somos avaliados pela nossa aparência, como se fossemos melhores ou piores de acordo com a “beleza” ou pompa de nossas roupas. Mas também é uma forma de me proteger, de fazer o possível para não atrair olhares errados para mim, de que as pessoas me enxerguem, me reconheçam, me admirem não pelo meu físico ou aparência, mas por quem eu sou verdadeiramente. Não me importo se nenhum rapaz desconhecido, por onde eu passar, vai me achar “bonita” ou não, vai deixar de me “olhar” porque estou toda “desarrumada”. De fato, vou achar bom demais se nenhum deles me “olhar” achando-me “bonita”, e se todos eles simplesmente me ignorarem para olhar para outras moças mais “bonitas”, pois tenho certeza que o rapaz que valer a pena não irá buscar encontrar ou admirar minha beleza física quando olhar pra mim, e sim minha essência, meu caráter, minha identidade como mulher de Deus. Portanto, prefiro driblar esses olhares de rapazes que não merecem sequer olhar para mim.

Isso não quer dizer que não devemos nos arrumar, que devemos andar “bagunçadas”, ou que é errado nos arrumarmos ou nos acharmos bonitas. Mas que devemos ter cuidado para que o fato de nos acharmos ou querermos nos achar bonitas não gere motivações erradas em nosso coração, não atraia olhares errados, não se torne nosso alicerce de segurança ou um foco em nossas mentes. Nós não devemos nos sentir melhores ou piores de acordo com a nossa aparência física! Esse é o valor que o mundo tem nos pregado e nos ensinado ser o certo – que estarmos ou sermos “bonitas” nos fará sentir melhores, mais valorizadas, etc e tal. Mas essa não é a verdade de Deus! Não importa nossa aparência física, nossa beleza está em nossos corações, ideais, sonhos, em nossa pureza. Não podemos nunca nos esquecer disso! Espero que, em todo tempo, quando as pessoas olharem para mim, não vejam meu físico, mas vejam meu espírito e admirem em mim apenas aquilo que o Senhor admiraria – que vejam minha verdadeira beleza.

Concordo plenamente que os rapazes tenham uma ENORME responsabilidade quanto ao que olham, ao que pensam e que sentimentos geram a respeito das moças e de suas roupas. Realmente muitas vezes esquece-se de falar do papel dos homens em relação a pureza, afinal todos nós precisamos buscar a pureza. No entanto, acredito que cada um de nós deve buscar oferecer seu melhor, independente do que o outro deveria estar fazendo. Nós, moças, devemos nos guardar, proteger, vigiar quanto ao que vestimos e ao que geramos nos rapazes independente do que eles estejam fazendo em relação a isso. Um dos grandes erros da humanidade é sempre jogar a culpa para os outros a fim de tirar a responsabilidade de si mesmos. Façamos a nossa parte, da melhor maneira que pudermos, ao invés de tentar justificar as coisas pela parte do outro que não está sendo feita. Se nos concentrarmos em nós, em nossas ações, sem dúvida poderemos investir mais e colher mais. Assim como os rapazes precisam entender seus papéis como protetores da pureza de suas irmãs em Cristo, em nos preservar e cuidar de nossas emoções e santidade, nós também, moças, precisamos preservar e proteger a emoção e a pureza de nossos irmãos em Cristo. O mundo tem, continuamente, bombardeado os homens com valores totalmente anti-cristãos, ensinado-os a serem tudo menos homens puros, principalmente em relação a como eles consideram a imagem da mulher. Assim sendo, nós como Cristãs, precisamos ajudá-los o quanto pudermos nessa luta, precisamos lutar ao lado deles o máximo que pudermos para ajudá-los a não pecar com seus olhos e seus pensamentos. Nós precisamos lutar juntos, um apoiando o outro como irmãos, para que não pequemos e permaneçamos puros. Se conseguimos nos ver uns aos outros como irmãos em Cristo, como um Corpo onde um é responsável pelo bem do outro, então entenderemos que precisamos nos importar mais com o outro e nos cuidar mais. Precisamos aprender a nos amar a tal ponto que a santificação dos nossos irmãos seja mais importante do que nosso “bem-estar” ou nosso conforto.

Eu não acredito que Modéstia seja uma questão de legalismo. Absolutamente! Não são regras que nos levam à santificação, mas a ação do Espírito Santo. No entanto, acredito que a troca de experiências, de dicas, de como certas roupas tem gerado pensamentos ou sentimentos impuros ou errados, ou o que certos trajes tem gerado nos outros são discussões que podem nos ajudar demais a entendermos e crescermos. Um dos instrumentos mais usados pelo Senhor para me abrir os olhos e o coração sobre modéstia foi o “Modesty Survey”, pesquisa de modéstia realizada pelo The Rebelution nos EUA. Meu Deus! Vocês não imaginam o impacto que os comentários feitos pelos rapazes cristãos, sobre como as roupas das moças representavam pedras de tropeço aos seus crescimentos em Deus, me ajudou a entender a importância do meu jeito de vestir. É uma questão realmente MUITO importante!

Por exemplo: meninas, quantas de vocês acham que usar (em público) uma blusa tipo “top”, acima do umbigo, mostrando a metade do abdômen, com um shortinho na metade da coxa poderia, em alguma hipótese, ser considerada modesta? (Se alguém achar que sim, por favor se manifeste e explique seu ponto de vista!). Você não acharia vulgar andar na rua com uma blusa que deixe de fora metade do seu abdômen? Você não acharia vulgar usar uma blusa apertada, que expusesse metade, ou 1/3 que seja, de seu busto? Você acha que os rapazes olhariam para você com pureza vendo-a vestida com uma roupa assim, e veriam em você a santidade de Cristo? Bom, tenho certeza que não! (Rapazes, vocês podem dizer!) E não é uma questão de que os rapazes não estão guardando seus pensamentos ou que os olhares deles são impuros, e sim que a imagem que estamos exibindo através dessas roupas, que expõem o corpo (ainda que consideradas normais pelo mundo), não é uma imagem de santidade ou pureza!

Então, como o uso de biquíni pode ser considerado modesto? Sinceramente, pessoalmente, não vejo a possibilidade de um biquíni criar uma imagem de pureza e santidade. Como podemos considerar usar um “top com calça jeans”, na rua, imodesto e vulgar, e considerar usar um biquíni, que deixa tudo à mostra (mesmo que usado com um short) algo modesto? Não existe diferença! (Na verdade, a maioria dos biquínis são bem piores do que os tops, na minha opinião!). Não é porque se está na praia ou na piscina e todo mundo está usando biquínis, que isso deixa de ser algo que gera pensamentos impuros e sensuais nos rapazes! Absolutamente! Roupas de banho são os trajes mais utilizados para fazer propagandas sensuais utilizando a imagem das mulheres, principalmente aqui no Brasil! Como elas podem se tornar instrumentos de pureza? Lembro que, ao ler os comentários dos rapazes do Modesty Survey, lembro de um que me marcou muito no aspecto “roupas de banho” – o rapaz dizia que jamais se casaria com uma moça que usasse biquínis! Puxa! Isso é forte! Mas, sinceramente, não acho exagero! Acho “Padrões Elevados”! Porque ele está preocupado com a pureza de sua futura esposa nos mínimos aspectos! Isso é lindo! Ele não quer que sua esposa almeje apenas o “básico”, o “comum”, o “normal”, mas que ela vá além em sua busca por santidade e guarde seu corpo de qualquer coisa que possa simbolizar uma pedra de tropeço na vida de seus irmãos (sejam eles cristãos ou não). Particularmente, eu não uso mais biquíni em nenhuma situação, nem mesmo em um banho de piscina em família ou no quintal de casa! Simplesmente porque não me sinto bem, nem o mínimo confortável usando um biquíni. Na verdade, até mesmo usando um maiô, fico um pouco constrangida, não é algo que me deixa totalmente confortável, prefiro mesmo tomar banho com uma camisa por cima (e, sem falta, uma bermuda, é claro!!!).

Além disso, tenho tido a graça de viver outras experiências muito gratificantes em relação a modéstia em minha vida. Mais uma vez lembro que tudo isso são coisas pessoais, aquilo que tenho recebido de Deus em minha vida particular, o que não significa que todo mundo deva viver assim, nossas decisões não devem vir de homens, mas do próprio Espírito Santo, não por “obrigação”, mas com prazer.

Algo que resolvi “testar” em minha vida, para ver os verdadeiros resultados, foi quanto ao uso de calça jeans. No Modesty Survey, a maioria dos rapazes considerou a calça jeans algo imodesto. Então, resolvi fazer uma mudança em minha rotina de “vestuário” para ver no que “ia dar”. Decidi tirar, o máximo possível, a calça jeans de meu uso. A substitui principalmente por calças de malha, daquelas sociais. Gente, vocês não imaginam a diferença que isso fez! Ainda não sei exatamente o porque a calça jeans realmente remete à imodéstia, em 95% dos casos, mas acredito que seja porque ela passa uma imagem de muito “comum”, informal, que não se leva a sério. Já quando passei a vestir as calças de malha, foi incrível como minha própria imagem acerca de mim mesma se modificou, eu mesma passei a me considerar mais séria, mais respeitável, mais honrada, assim como senti que as pessoas ao redor também passaram a se relacionar comigo dessa forma. Digo, principalmente, como professora, especialmente por ser muito jovem e a maioria de meus alunos serem mais velhos que eu, além de muitos deles serem rapazes jovens. Acredito que o fato de eu usar roupas mais “formais” os fazem me enxergar de um jeito diferente, muito mais respeitoso. Isso traz uma sensação de segurança muito grande! Infelizmente, algumas vezes ainda preciso usar as calças jeans, tipo quando preciso ir em locais completamente informais, rotineiros, como levar minha avó na fisioterapia ou ir no armazém no canto de casa. Mas, quando o faço, tento sempre ter o cuidado de vestir blusas bem compridas, que possam cobrir o quadril, já que os jeans geralmente são bem colados no quadril e coxas. Então, vou me virando como posso, até poder renovar o guarda-roupa como quero. Meu próximo passo agora é testar as saias! =P~ Elas são consideradas geralmente como a opção mais modesta, então pretendo ver o resultado de seu uso em minha vida também. Há alguns dias mandei cortar os vestidos que eu tinha e transformá-los todos em saias! hehehe.... ainda não fui buscar, mas acredito que será uma experiência com ótimos resultados!

Outra coisa legal que percebi foi que, definitivamente, não sou dependente do salto-alto!!! \o/ hehehe... Bom, isso foi bem legal, porque antes eu usava bastante salto-alto, principalmente com calça jeans, e ultimamente tenho percebido o quanto posso dispensá-los, além do quanto as minhas sapatilhas me fazem sentir super confortável! Tem sido algo muito bom mesmo!

Bom, pessoal, já chega, senão vocês não terminam de ler esse post nunca!!! Como eu disse, eu realmente falo muito!!! =P~ Principalmente porque estava mesmo sentindo muita falta de escrever aqui no blog e de poder compartilhar mais coisas de Deus com vocês! Desde já, muito obrigada a todos que têm acompanhado o blog e me abençoado com suas experiências também!!! Que possamos continuar crescendo juntos, apoiando uns aos outros e buscando o discernimento e a sabedoria de Deus para nossas vidas!

Com amor, Aline.

Modéstia Interior se mostrará Externamente

Este é um GRANDE DESAFIO, apenas para aquelas que estão realmente dispostas a honrarem e agradarem a Deus com suas vidas, não importando o preço a ser pago ou o que os outros irão pensar a respeito.

Este post é a tradução do texto sobre modéstia mais impactante e confrontador que já li! Nele encontrei respostas que estava procurando já há algum tempo, e achei maravilhoso saber que uma jovem (neste caso, de apenas 17 anos), tem se disposto a ser tão radical em relação a sua pureza e sua imagem como Filha de Deus! Achei um texto lindíssimo!

No entanto, infelizmente, já posso "ouvir" (ou ler) MUITAS moças, mesmo que cristãs, questionando e dizendo que ele é um "Exagero", que não precisamos ser "tão diferentes do mundo assim"... Infelizmente, eu poderia ver muitas de minhas amigas afirmando ser impossível manter nosso padrão tão alto e tão firme assim!

Bom, pra mim este é um padrão absolutamente alcançável, e espero poder chegar a níveis ainda mais elevados de pureza e santidade como mulher de Deus! No final das contas, acho que tudo vai da sua disposição e desejo em impactar esse mundo com sua vida, deixando de ser amiga do mundo para ser verdadeiramente Amiga, Filha e Representante de Jesus!

Para aquelas que possuem esse desejo e querem dizer sim ao desafio - Deus as abençoe e faça-as almejar padrões cada vez mais altos a cada novo dia! ;)

..........................................................................................................................



**Atenção: Cavalheiros, por favor reparem que este é um post de damas. Procedam com cautela.**

Eu estava querendo postar uma “Checklist” básica sobre Modéstia há algum tempo, e aqui está. Eu procurei recolher na internet uma visão mais ampla do que seria e é considerado ser modesta sem ser considerada legalista. E é isto. Apesar de que eu acho que a linha base é que, se você tem modéstia e feminilidade interior de coração, isso se mostrará externamente.

Checando o coração

A primeira coisa é orar e pedir que o Senhor lhe mostre e lhe convença de qualquer imodéstia do coração. A Bíblia nos fala para sermos puros de coração, pois estes verão a Deus (Mateus 5:8). Ver Deus? Eu acho que isso significa que eles verão a Deus não somente no Céu, mas aqui na terra. Nós estaremos aptos a ver e conhecer a Deus com entendimento espiritual porque nós somos “puros de coração” e nada embaça nosso julgamento espiritual.

- Questões para perguntar a si mesma:

1) O que minhas roupas falam sobre meu coração? Elas mostram que eu tenho modéstia interior?
2) Qual a intenção do meu coração quando eu coloco uma roupa? É para estar na moda ou para impressionar ou para chamar atenção?
3) Minhas roupas refletem meu valores Bíblicos de Modéstia, auto-controle, e vestuário respeitável ou elas refletem os contra-valores da cultura em que vivo?
4) Minhas roupas refletem rebelião de coração?
5) Eu estou tentando me identificar com Deus através de meus trajes ou com a última e melhor moda?
6) Eu tenho pedido para meus pais, mulheres mais velhas, ou outras pessoas de Deus avaliarem meu guarda-roupas?
7) Minhas roupas revelam meu empenho em buscar a Deus e agrada-lo ou elas revelam que Deus vem depois do meu conforto ou estilo de vida?
8) Se eu estivesse em pé numa multidão de pessoas do mundo, eu me sentiria embaraçada por estar vestida femininamente modesta?

Eu espero que esta lista acima realmente a ajude se você está tendo alguma luta em ouvir a Deus no seu coração, ainda que você já se vista modestamente e femininamente. Você também pode aplicar isso para como você usa maquiagem e a intenção de seu coração nisso.

Checando o Guarda-roupas:

Quando você veste alguma coisa, você deveria sempre fazer uma checagem pra ver se está expondo seu bumbum, a parte inferior de suas costas, seus ombros, ou seu busto. Também existem muitas outras coisas para checar. Você deveria checar sua roupa se você está em casa ou se vai sair, da mesma forma que modéstia deveria ser algo que você mostra todo tempo.

- Questões para perguntar a si mesma:

1) Quando eu me abaixo ou me levanto, minha blusa se movimenta mostrando alguma coisa? Se sim, eu deveria mudar isso ou eu posso usar um alfinete de segurança por dentro da roupa? Ou é indecente para alguém e deveria ser totalmente rejeitada?
2) Se eu uso uma camisa de botão, você pode ver algo no espaço entre os botões? Se sim, adiciono mais botões ou ponho uma camiseta por baixo.
3) Se eu visto uma blusa de alça fina, do tipo top, frente única ou transparente... hum, nada pode ajudar nesses casos. Volte para o armário e rejeite a frente única e a blusa transparente. Você pode usar blusas sem mangas por baixo de outras, mas não deve usa-las sozinhas pois elas expõem muito a pele. Além disso, a maioria dos rapazes acharia estas roupas uma pedra de tropeço em suas lutas contra a sensualidade e a luxúria.
4) Eu posso ver o forro do sutiã através da minha blusa ou da gola?
5) Dá pra ver alguma parte da minha barriga quando eu levanto meus braços ou quando me levanto?
6) Dá pra ver alguma parte do meu busto, me curvando ou não?
7) Minha blusa é demasiadamente apertada? Ela se dobra abaixo do meu busto ou o aperta? Os botões da frente se trituram dando a impressão de uma blusa apertada ao redor do meu busto? Lembre: suas camisas devem ser suficientemente apertadas para mostrar que você é uma mulher, mas suficientemente folgadas para mostrar que você é uma dama.

Na parte de trás:

1) Minha barriga aparece quando eu levanto? Se sim, minha saia está muito baixa? Eu preciso trocar a blusa por uma mais longa ou a saia por uma mais alta? Ninguém pode evitar olhar para seu bumbum ou para sua roupa íntima aparecendo quando você levanta. Não embarace a si mesma por vestir algo que você pode esquecer de “vigiar”.
2) Eu posso ver as linhas de minha roupa íntima através da minha saia ou calça? Se sim, está muito apertado. Troque por algo mais folgado.
3) Minha saia está muito curta? Para checar, você não precisa levantar para ver se elas batem nos joelhos, e sim sentar. É possível que alguém veja acima dos meus joelhos? Se sim, troque, e sempre lembre de cruzar as pernas se você é uma dama.
4) Minha saia é muito transparente? Fique de frente para a luz do sol para ver. Se sim, use uma combinação.
5) Realmente tente manter distância de saias espalhafatosas, com cores vivas, enfeitadas com borlas e efeitos ciganos. A Bíblia nos fala para sermos modestas, acanhadas, reservadas e para não chamarmos atenção para nós mesmas.
6) Meu salto alto faz meu vestido ou saia parecer mais curto? Se sim, pegue um par diferente. Sapatos de salto alto podem ser considerados “picantes”, então se certifique de que você está usando um par modesto cujos saltos não sejam muito altos. Minha mãe só nos deixa usar saltos menores que 2 polegadas (+/- 5 cm), apesar de que prefiro completamente os tênis.
7) Evite meias-calças. Elas chamam muita atenção para as pernas, especialmente as pretas. Algumas mulheres de uma equipe de louvor perguntaram aos homens na congregação se usar meias-calças era uma distração/perturbação mental, e eles responderam que era mais perturbador para eles do que pernas nuas. Não estou falando que é assim em todos os casos, mas é algo a se pensar.

ROUPAS DE BANHO

A última vez que eu usei um traje de banho foi quando eu tinha 14 anos. Eu usei um biquíni num evento da igreja, e voltando atrás eu vejo quão revelador e imodestamente apertado ele estava. Pessoalmente eu não nado e quando o faço, eu uso uma saia com shorts por baixo e uma camiseta. Quando você comprar ou colocar um traje de banho, certifique-se de fazer a checagem sobre modéstia acima. Se certifique que ele não está acima do joelho, nem muito apertado, e não deixa alguma parte do corpo à mostra.

Antes de eu começar a ler a Palavra e encontrar respostas nela, eu ficava zangada por ter sido feita para usar calças ou saias. Eu estava mostrando modéstia e feminilidade externamente, mas internamente eu não estava correta com Deus nem pura no coração.

Eu espero que essa “Checklist” de Modéstia tenha ajudado bastante a você. Se você sentir que eu esqueci algo, fique à vontade para me avisar e eu devo acrescentar. Lembre-se que se você tem modéstia e feminilidade internamente em seu coração, elas se mostrarão externamente.

Sinta-se à vontade para imprimir essa “Checklist” da Modéstia, seja para fixar na sua parede (perto do seu espelho sem dúvida) ou para dar a alguns amigos.

Bênçãos.

Miss Jocelyn


(Jocelyn é uma jovem de 17 anos de Indiana. Uma jovem que tem se dedicado a pregar a Pureza, a Modéstia e a verdadeira Feminilidade para as moças ao redor do mundo, a fim de que nós, Filhas de Deus, vivamos os valores Bíblicos de legítimas Mulheres de Deus. Ela possui 2 sites maravilhosos, os quais indico a todos – principalmente as meninas: A Pondering Heart (www.aponderingheart.com/blog) e Feelin’ Feminine (www.feelinfeminine.com) , além de escrever para uma revista cristã on line – Growing in Grace (www.growingingrace.com). Não deixem de visitar e praticar seu inglês – ou o tradutor do Google! =P )

segunda-feira, 1 de junho de 2009


Olá Meninas!!


Eu sou a Mafalda (Fada para os íntimos como a irmã Aline disse hehe), sou portuguesa cristã e tenho 22 anos.

Fiquei muito feliz quando a irmã Aline me convidou para participar neste Blog, pois tem sido maravilhoso o que Deus tem colocado no meu coração, e ainda é mais glorioso viver esses conceitos. Não se trata de algo novo ou legalismo, mas algo que está claramente expresso na Bíblia.


É incrível olhar para o passado e ver que durante séculos seguidos a nossa sociedade detinha certos valores que foram completamente destruídos em pouco mais de um século a partir do séc. XX. Conceitos como moral, família, entre outros, foram se alterando radicalmente. Durante o séc. XX com a Revolução Industrial, Guerras Mundias, movimentos feministas, o surgimento da moda, consumo de massas, anti-conceptivos, separação da igreja do Estado, entre muitos outros fatores.. a sociedade passou por uma metamorfose e além de termos adquirido novos hábitos e costumes, o mundo Ocidental tornou-se numa aldeia global. É natural que tantas transformações tenham alterado as nossas sociedades, agora será que essas transformações deveriam ter entrado nas nossas igrejas? Se olhar-mos a fundo para o tipo de Cristianismo vivido nos dias de hoje claramente veremos que também sofreu com todas essas alterações. Neste Blog pretendemos abordar acerca da alteração que houve no papel da mulher cristã, ou seja a perda da sua identidade.


O mais importante inicialmente não será abordar as roupas, hábitos ou costumes, mas refletir acerca do mais importante que engloba todos esses assunto que é realmente a perda da identidade da mulher cristã. Hoje em dia é muito difícil identificar na sociedade uma mulher cristã de uma não cristã, sejamos sinceras, isso é verdade. Mas através da Bíblia Sagrada pode-se observar que Deus tem algo reservado para as suas princesas, um lugar de honra que muitas vezes é confundido como lugar de repressão ou algo antiquado só aplicável naquela época.

No entanto, em primeiro lugar há que entender verdadeiramente qual a vontade de Deus para nós, é necessário um estudo da Bíblia e do meio que nos envolve para entender o plano de Deus para as nossas vidas enquanto jovens, mulheres, adjuntoras, filhas, esposas, mães, etc.

Por ter muita sede da vontade de Deus, eu comecei a buscar padrões mais altos, pois não me sentia completa, não sentia que de fato havia diferença em mim. Deste modo, descobri que existem sim padrões mais altos para a vida das mulheres cristãs, padrões esses que se revelam grandes bençãos nas nossas vidas!!! Logo Deus me presenteou com a amizade da irmã Salomé e irmã Aline que me têm ajudado a descobrir cada vez mais o meu papel enquanto mulher de Deus, além dos diversos estudos e leituras de Blogs americanos onde jovens como eu e você têm lutado contra as baixas expetativas nas suas vidas.


Um dos padrões que comecei a seguir descritos na Bíblia foi a modéstia, e tem sido uma enorme benção na minha vida. É incrível o que Deus tem feito em mim desde que substituí a vaidade que é um padrão mundano, pela modéstia que é o padrão de Deus. Agora sinto-me verdadeiramente livre, verdadeiramente em paz e espero compartilhar esta benção com outras irmãs =D


Deus abençoe a todas as suas princesas ^^

quinta-feira, 28 de maio de 2009

MODÉSTIA - Nosso Primeiro Tema!!!

Bom, meninas, não poderíamos estreiar o blog com outro assunto que não fosse Modéstia!

Modéstia tem sido uma das maiores áreas nas quais mais temos sido ministradas (eu, Lomé e Mafalda) , e tem sido maravilhoso descobrir que grande benção Deus planejou para nós, apesar da enorme tristeza que temos sentido ao ver o quanto essa benção nos tem sido roubada pela cultura ocidental moderna!

Justamente por isso, gostaríamos de iniciar o blog falando sobre isso: 

Modéstia - Humildade no Vestir!

Falar sobre Modéstia é começar a falar sobre aquilo que considero como a Virtude Essencial de uma Mulher de Deus - HUMILDADE! Para recebermos nosso papel de Mulher, segundo o Propósito Eterno de Deus, é necessário que tenhamos MUITA HUMILDADE! E, para falar de Modéstia, da mesma forma! Precisamos ser suficientemente humildes para assumir que temos aceitado, nos conformado e vivido os padrões do mundo para nossa Feminilidade, ao invés dos Padrões de Deus!

Portanto, é com esse espírito que espero que iniciemos nossas conversas. Com corações e espíritos humildes, contritos e rendidos à Verdade do Senhor!

.............................................................................

Nosso primeiro texto, então, é um texto de um site americano que se chama “Purity People” (www.puritypeople.com), um site de pessoas que acreditam nesse chamado de pureza de Deus e tem se comprometido com ele. O texto fala sobre “O Compromisso” que o Senhor tem colocado no coração da nossa geração. Pedi autorização pra proprietária do site pra traduzi-lo e publicá-lo aqui, porque muito mais jovens em nosso Brasil precisam conhecer essa verdade e se apaixonar por ela. Bom, essa é a primeira tradução que faço de um texto em inglês, então espero que consiga expressar o sentido real do texto. Fiz o meu melhor!

:::::::::O COMPROMISSO ( “The Commitment”):::::::::::::

1) CORAÇÃO: Esperando pelo Romance no Tempo de Deus

- Provérbios 4. 23: “Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes de vida”.

- I Coríntios 7. 32-35: “O que eu realmente quero é que estejais livres de preocupações. Quem não é casado cuida das coisas do Senhor, de como agradar ao Senhor; mas o que casou cuida das coisas do mundo, de como agradar à esposa, e assim está dividido. Também a mulher, tanto a viúva como a virgem, cuida das coisas do Senhor, para ser santa, assim no corpo como no espírito; a que se casou, porém, se preocupa com as coisas do mundo, de como agradar seu marido. Digo isso em favor dos vossos próprios interesses; não que eu pretenda enredar-vos, mas somente para o que é decoroso e vos facilite o consagrar-vos, desimpedidamente, ao Senhor”.

Nós temos escolhido guardar nossos corações para nossos futuros cônjuges. Estamos esperando no tempo de Deus pelo romance, comprometidos em servir a Deus enquanto esse tempo não chega. Isso significa que não estamos procurando alguém, de forma romântica, no momento, mas, em vez disso, estamos cultivando amizades com nossos irmãos e irmãs em Cristo. Nós acreditamos que, se Deus quer que nós tenhamos um cônjuge um dia, Ele fará disso algo puro e cristalino, quando o tempo tiver chegado para nos relacionarmos com esta pessoa, através da oração, do aconselhamento e da Sua Palavra. Ao invés de nos ocuparmos com relacionamentos frívolos, nós estamos esperando pela pessoa certa para ter um relacionamento sério, compromissado e visando o casamento. Fazemos isso porque sabemos que somente Deus sabe com quem nós casaremos um dia (Jeremias 29: 11-13), entendemos que todas as melhores dádivas vêm dEle (Tiago 1:17), e acreditamos que Ele preparará todos os detalhes (Salmos138:8) do Seu jeito e de uma forma especial para cada um de nós. Nesse período particular de nossas vidas, como solteiros, estamos focados em nos tornarmos um Príncipe e Princesa, ao invés de procurarmos por ele ou ela.


2) MENTE: Substituindo Pensamentos Sensuais por Pensamentos Dignos

- Filipenses 4.8: “Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento”.

Nós acreditamos que, aos olhos de Deus, a pureza da mente é tão importante quanto a pureza do corpo. Dessa forma, nós tentamos guardar nossas mentes de coisas que possam manchar nossa pureza mental, sendo cuidadosos sobre o que pensamos, que filmes assistimos, como olhamos para pessoas do sexo oposto, etc., lutando para substituir pensamentos sensuais pelos bons pensamentos.

3) CORPO

a) Abstinência:

- Efésios 5.3: “Mas entre vós não deve haver nem mesmo uma insinuação de imoralidade sexual, ou qualquer tipo de impureza, ou de cobiça, pois isto é impróprio para os santos de Deus”.

Nós estamos comprometidos a viver com pureza, guardando o sexo para o casamento, e nos certificando de que “nem mesmo uma insinuação” de imoralidade sexual haja entre nós. Não é uma questão de “Até onde posso ir e continuar sendo tecnicamente virgem?”, mas “Quão próximo eu posso chegar do nível de absoluta pureza de Deus?”. Nós podemos ou não ser virgens atualmente, mas todos nós firmamos o compromisso de preservar o sexo para o casamento daqui pra frente, compreendendo que Deus nos oferece perdão pleno pelos erros do passado se nós simplesmente o pedirmos (I João 1:9).

b) Modéstia (Garotas):

- I Timóteo 2. 9-10: “Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje decente, com pudor e modéstia... como é próprio às mulheres que professam servir a Deus, com boas obras”.

Nós decidimos nos vestir modestamente porque compreendemos que isso afeta a forma como representamos a Cristo e os pensamentos dos rapazes a nosso respeito. É possível se vestir elegantemente e com modéstia, apesar disto ser difícil algumas vezes. Nós não achamos que modéstia significa que você tem que usar vestidos abaixo do tornozelo ou gola em cima do pescoço – você PODE ser elegante – mas, como cristãs, é importante sermos muito cuidadosas para nos certificarmos que nossas roupas não levarão nossos irmãos em Cristo ao tropeço.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Poverty can be romantic!

*ahem* Excuse me?? ...


Yes, you heard correctly! Poverty can be romantic, and in turn it will be filled with riches in Christ.

Girls, marriage does not depend on earthly values. Romance does not come with attached conditions that demand riches, fame and glory.

I guess in today's maelstrom of ideas on romance and marriage, we as girls have lost the teaching that God has given us. We tend to long for things which are of little value, and of minor importance in the Kingdom.

The day we get married, we will do so because of a Christ-like love from God himself, and not for favours.

So here's a secret for all of us, to keep for the rest of our lives. Romance doesn't have conditions. It only requires a love that can only spring out from the Bible.

Have a blessed week ladies!