sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Preparando-se para o Futuro...


Já comentei várias vezes, principalmente no meu outro blog (“Sonhando na Contramão”), sobre meu profundo desejo de, futuramente, poder me dedicar de forma integral ao meu chamado para ser fundadora de uma família e abençoadora de gerações enquanto esposa, mãe, serva de Deus e... dona de casa! A maioria das pessoas desmerece o papel da vocação para se cuidar de um lar e, infelizmente, muitas vezes, nós mesmos acabamos fazendo isso.




Há algum tempo, o Senhor tem me mostrado o quanto eu estava enganada em relação à preparação que preciso ter para este futuro que pretendo viver. E me questionou: “Minha filha, você acha que está preparada para se casar, cuidar de uma casa e, ao mesmo tempo, dos filhos que Eu lhe darei?”. E tive que pensar bem honestamente: “Bom... eu sequer consigo levantar cedo pra ajudar a arrumar a minha casa! É, Deus, acho que não!”.



E Deus foi me mostrando o quão “irreal” e “utópica” era minha imagem das futuras funções que espero assumir. Eu estava romanceando demais algo que, sim, é romântico, mas também é prático e requer muita energia, dedicação, esforço, paciência, domínio próprio, doação e mais tantas outras características que não se desenvolve “da noite para o dia”.



Então, tive que me perguntar: “Quando eu espero aprender sobre as responsabilidades dos planos que tenho feito pro meu futuro? Quando eu vou aprender a ser esposa, a ter paciência para estar com crianças (além das 2 ou 4h que fico, eventualmente, com meus primos), a administrar o cansaço, cuidar de uma casa e ainda ter que estar sempre disponível para meu marido, filhos e ministério? Quando eu me casar e “cair de pára-quedas” nessa realidade? Quando eu já não tiver alguém pra fazer tudo por mim e tiver que assumir toda essa responsabilidade?”.



E foi Deus quem me respondeu: “Não! Eu não planejei que fosse assim! Não planejei que você gastasse tanto de suas energias durante os primeiros anos de seu casamento para se adaptar a estes novos papéis, para tentar desenvolver, a qualquer custo, essas características que lhe serão necessárias! Isso, sem dúvida, lhe desgastaria, lhe traria fadiga e estresse, tirando sua paz e dificultando o meu fluir pra essa nova fase. Esse momento é para você e seu cônjuge investirem suas energias na edificação desta aliança e no cumprimento do meu propósito para seu casamento!”.



E, de forma quase automática, pude perceber que o Tempo para esta minha preparação é exatamente HOJE. Então, tive que me deparar com tantas questões em minha vida que ainda precisavam ser mudadas para que eu venha a cumprir a missão que Deus tem me dado, de abençoar as gerações: meu sério problema em acordar cedo e administrar meu tempo; minha irresponsabilidade e falta de participação com as coisas de minha casa; minha incapacidade de manter minhas coisas arrumadas ou de, pelo menos, dobrar os lençóis de minha cama ao meu levantar; a forma sem paciência como trato as crianças quando estou cansada e elas querem brincar; a falta de submissão a meus pais quando estou chateada com eles; o fato de que praticamente não sei cozinhar, entre tantas outras coisas.



E percebi: “Puxa, Deus! Realmente não vai adiantar eu apenas estar bastante apaixonada pelo meu esposo para superar todas essas deficiências!”. É como na formação profissional: você pode ter toda a teoria possível de cor e salteado, se não conseguir pô-la em prática, se não treina, não se exercita, é bem provável que não tenha muito mérito! É muito comum ver pessoas que nunca fizeram uma faculdade mas, pelos anos acumulados de prática em algum assunto, são muito mais capacitadas pra realizar determinada atividade do que alguém que estudou 4 ou 5 anos mas nunca praticou.



Nesse ano de 2009, cresci MUITO em conhecimento e revelação de Deus a respeito de família, abençoar as futuras gerações, exercer meu papel de Mulher, mas ainda não estou pronta... falta-me a prática! Viver tudo isso dia-a-dia. E isso precisa começar a acontecer HOJE!



Então, o Senhor me fez entender algo “incrivelmente incrível” e cheio de Sua Infinita sabedoria: Ele já preparou o contexto ideal para este nosso “treinamento prévio”. Alguém supõe que contexto é esse??? [...] Sim! Nossa FAMÍLIA, é claro!!!



Deus nos colocou em uma família, uma casa, com autoridades que estão sobre nós, com problemas a serem solucionados (que, geralmente, são ignorados), com pessoas dos mais variados tipos... Colocou figuras de homens, através dos pais e irmãos, na vida de cada mulher, com as quais elas poderão treinar sua convivência com seus futuros maridos... Colocou mulheres – mães e irmãs – na vida de cada rapaz, para proporcionar-lhes a chance de compreender as mulheres e exercitar o cavalheirismo, a arte de ouvir, a paciência com os dramas e o aprender com a capacidade delas de enxergar os problemas sempre com antecedência... Colocou crianças, em forma de primos, sobrinhos ou irmãos, para praticarmos a paciência e o dom de amá-las, mesmo cansados, e discipliná-las em amor... Colocou pessoas que nos estressam, que pensam diferente de nós, que sempre criticam, que fazem tudo errado, que não sabem demonstrar amor, para que aprendamos o Verdadeiro Amor – incondicional, paciente, benigno, que não busca seus próprios interesses, tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta...



Enfim! Como Deus foi maravilhoso ao nos colocar em um lar! Não importa se ele é “bom ou não”! Todos nós que temos a dádiva de dividir um espaço, uma casa, com outros membros de nossa família, temos a oportunidade de nos prepararmos, através de nossa convivência com eles, para o momento em que fundaremos nossas próprias famílias!



Quem nunca ouviu aquele ditado: “A forma como um rapaz trata sua mãe, é a forma como ele tratará sua esposa” ou “A forma como uma moça trata seu pai, é a forma como ela tratará seu esposo”? Quanta verdade há nisso! Como eu posso esperar, enquanto mulher, ser submissa em amor ao meu marido se nunca o fui, ou não o sou com freqüência, ao meu pai? Como podemos esperar que um rapaz tenha a capacidade de amar sua esposa da mesma forma como Cristo ama a Igreja, se ele não o faz com sua mãe e/ou irmã(s), se não tem paciência ou disponibilidade para ouvi-las, para honrá-las, protegê-las, passar tempo com elas, etc? Como podemos esperar tratar nossos filhos sempre com amor e paciência, se não agüentamos estar 5 horas com uma criança que quer brincar de tudo após nosso período de trabalho ou estudo, quando o corpo só pede cama e descanso? Como esperamos sempre reagir no espírito com nossos cônjuges ou filhos, se não conseguimos fazê-lo hoje com as pessoas difíceis com as quais temos que conviver, aquelas que nunca nos entendem, sempre discordam de nós, nos magoam e chateiam e parecem ser totalmente incapazes de amar verdadeiramente? Ou será que imaginamos que nossos esposos(as) e filhos estarão sempre perfeitamente bem, nunca terão dias estressantes, nunca discordarão de nós e farão coisas erradas, que nos magoem ou chateiem?



Rapazes, vocês já se dispuseram a amar suas mães ou irmãs quando elas estão em uma crise de TPM (Tensão Pré-Menstrual), e tudo as irrita profundamente, e nada as deixa satisfeitas e elas reclamam o dia inteiro??? Bom, sugiro que vocês comecem a treinar isso hoje, afinal, um dia vocês casarão com mulheres, não é? E vocês correm um grande risco de ter que passar o resto da vida lidando com esta síndrome mensal! Ou vocês serão mais uns no meio dos homens que simplesmente dizem que “isso tudo é frescura”? (Será que vocês não têm dito ou pensado isso a respeito de suas mães, irmãs, primas, tias, etc?).



Então, há cerca de um mês, eu acho, desde quando comecei a ser ministrada a respeito disso tudo, tenho procurado começar meu treinamento a cada dia! Na minha família, eu e meus irmãos nunca precisamos nos preocupar com as questões de casa (a não ser em alguns eventuais fins de semana, ou férias na praia), pois sempre houve uma secretária em casa fazendo isso tudo. Mesmo minha mãe nunca se ocupou muito com essas coisas. Quem mais cuida de tudo isso, em minha casa, é meu pai. É ele quem providencia o almoço, precisa repor o que está faltando, compra as coisas pro café da tarde, o leite, o açúcar, e todo o resto. Se ele não o faz, ninguém faz! E isso é algo que o estressa bastante, porque, além dessas responsabilidades, ele ainda tem muitas outras, especialmente por ser o único que dirige em casa. Isso era algo que o sobrecarregava muito mesmo!



Então, resolvi me comprometer com meu pai de acordar mais cedo todos os dias e ajudá-lo a providenciar as coisas para dentro de casa: ir ao supermercado fazer as compras da semana ou do mês, ir ao açougue comprar carne, orientar a secretária de casa quanto às coisas que precisam ser melhoradas, especialmente de acordo com o que meus pais gostam... enfim! E essa tem sido uma experiência excelente! É realmente muito bom estar, além de ajudando meu pai, cuidando das coisas de casa! Através disso, nossa alimentação tem se tornado muito mais saborosa e saudável, a senhora que trabalha em casa está muito mais motivada, porque sempre inventamos alguma coisa nova pra fazer, meus pais estão mais satisfeitos com a alimentação, e eu estou aprendendo a administrar muito melhor meu tempo e minhas energias!



Outra experiência interessante, e que eu ignorava bastante, tem sido minha convivência ao cuidar de crianças. Pessoalmente, eu AMO crianças! Sou fascinada por crianças e, acho que em função disso, elas também costumam gostar muito de mim. E, na minha família, até que tem umas quantas crianças – de forma mais rotineira, convivo com cerca de 4 primos pequenos, de 3, 5 e 6 anos, em média. Eu os amo mesmo! Gosto muito de estar com eles. Mas, ainda assim, sabe aqueles momentos em que estamos cansados ou estressados com alguma coisa, e só queremos dormir? Alguém já teve que lidar com uma criança de 5 anos pedindo insistentemente pra você brincar de “pira-alta” com ela?? rsrs... Tenho uma priminha, minha filha, Gabrielly, de 5 anos, que tem uma energia que não acaba nunca! Ela sempre tem alguma idéia nova de brincadeiras ou coisas pra fazer! Especialmente por passar muito tempo sozinha em casa, porque seus pais trabalham o dia inteiro, quando tem uma pessoa pra dar atenção a ela, essa pessoa é literalmente explorada! hehehe... Ela quer dançar, correr, se esconder, contar histórias, ouvir histórias, brincar de jogo da memória, de escolinha, de amarelinha, assistir DVD (o mesmo filme sempre!), e mais um milhão de coisas! Puxa, a Gabrielly é minha princesinha, amo-a como se fosse minha filha mesmo, mas minhas energias não chegam à metade da dela! Tem horas que não agüento mais ouvi-la falando de tantas e tantas e tantas coisas! E, quando ela está comigo, não quer deixar eu falar com mais ninguém! A atenção tem que ser TODA dela! E, então, o Espírito Santo me mostra o quanto ainda preciso exercitar minha paciência com as crianças (ainda que eu seja mais paciente com elas do que 99% das outras pessoas!). E é isso que tenho buscado! Passar tempo com as crianças, aprender a ouvi-las, honrá-las, abençoá-las e amá-las em qualquer circunstância. Tenho percebido que, ainda com todo o amor que tenho por elas, isso é algo que preciso aprimorar ainda bastante!



Enfim, estes são apenas alguns exemplos de coisas que preciso aprender ainda, para viver o Futuro que tenho planejado. É fácil dizer que iremos amar nossos cônjuges com todo nosso amor, que queremos ter 10 filhos, que queremos cuidar pessoalmente de nossas casas... mas essas não são coisas tão simples assim! São questões que precisarão de muita de nossas energias, é uma arte que precisa ser desenvolvida exatamente HOJE, para ser vivida com excelência daqui a alguns anos!


Então, vamos lá, e que o Senhor nos ajude!


Shalom!! :)


2 comentários:

Adoradora de Cristo disse...

Olá amada em Cristo!
O texto está simplesmente fantástico!! Que bom que o Senhor tem vindo a ministrar a tua vida a necessidade de servir!! Servir nas tarefas domésticas, servir quando brincas com as crianças, servir quando vais as compras! Fico muito feliz por estares a dar passos em direcção àquilo que Deus deseja para a tua vida. E isso é um incentivo para mim e para muitas outras pessoas que vão ler o teu texto!! Continua!! Beijinhos =)

Aline Ramos disse...

Obrigada, princesa!!
Nossa geração precisa de muita ajuda pra aprender essas coisas... infelizmente a maioria tem deixado isso totalmente de lado! Mas o Senhor há de nos ensinar todas as coisas, na medida em que nos colocarmos à Sua disposição!
Obrigada por sua participação sempre!
Com amor, sua irmã no Messias! :)