terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Por que eu creio?


Creio porque eu estava quieta no meu canto, vivendo minha vidinha de adolescente religiosa que achava sua vida quase perfeitinha e exemplar: era uma das melhores alunas da turma, uma filha que nunca deu grandes trabalhos, tinha uma família muito bem estruturada, era uma católica praticante e bem atuante, participava de debates sobre a Bíblia, família, Deus e fé, não saía com rapazes, não ia a festas com tanta frequência, não vestia roupas indecentes, não bebia nem usava nenhum outro tipo de substâncias viciantes, visitava igrejas evangélicas e tinha amigos nelas, me achava alguém bastante espiritual e não via nada em minha vida que precisasse de grande mudança. Achava que conhecia a Deus e andava com Ele. Não pedi pra que nada mudasse – não achava que precisava mudar.

Foi quando recebi um convite pra participar de um encontro de jovens bastante famoso na cidade e o qual eu tinha muita vontade de conhecer. Lembro tão bem do primeiro dia de encontro e da metade do segundo dia, nos quais meu pensamento, ao olhar pra tantos jovens com crises familiares enormes, problemas com álcool e drogas, homossexualismo, violência e outras histórias desastrosas, era: “Como esses jovens precisam de Deus e de transformação em suas vidas! Deus fale com eles nesses dias!”. Em nenhum momento pensei que aquele encontro seria para MIM. Não achava que era um dos que “precisavam” daquele encontro, pois achava que já tinha o que precisava. Mas eu nem imaginava o que iria acontecer.

No segundo dia de encontro, após tantas palestras lindas e outras formas de anunciar o amor de Deus, após ter conhecido pessoas novas e ouvido muitas coisas, houve um momento de “ficar a sós” – nós e Deus, somente. Era um momento em que ficávamos num lugar aberto e, após uma dinâmica, todos se separaram e ficaram sozinhos, e era hora de falar com Deus. Não havia ninguém falando nada. Somente uma música de fundo e um tempo livre para você se aproximar de Deus. E foi ali que Ele se achegou a mim. Eu não pedi, Ele simplesmente chegou. E, sem que ninguém precisasse falar nada, Ele abriu meus olhos, me mostrou o tamanho de minha necessidade dEle, o tamanho de minha distância dEle, o tamanho de minha religiosidade, meu egoísmo, minha vaidade, minha vida controlada por mim mesma – e me disse que tinha outros planos para mim. Foi quando entendi que havia mais para minha vida – e abri mão de todo o resto, de todo o auto-controle, de todos os desejos e prazeres carnais, porque eu queria viver com Ele e para Ele. Com TODA minha sinceridade, posso dizer convicta que, naquele momento, eu nasci de novo. Não falei pra ninguém o que havia acontecido, apenas eu sabia, mas a minha vida jamais voltaria a ser a mesma a partir de então.

Era apenas a primeira de muitas situações como esta: eu achando que já estava “quase perfeita”, totalmente inconsciente da necessidade que eu tinha de Deus, totalmente incapaz de sequer desejar ser liberta de coisas que me escravizavam, e Ele vinha novamente, no mesmo silêncio, na mesma paciência e sutileza, tocava em meus olhos e me mostrava minha real situação. Em cada momento que pude enxergar meu pecado, meus enormes desvios do caminho, meus “erros teológicos”, minha meninice na fé, não foi porque eu simplesmente “quis” vê-los. Eu nem tinha condições de querer vê-los, tão imersa eu estava neles. Foi a Graça dEle. ELE foi lá, me alcançar no meio do caminho errado onde eu me encontrava, e ELE me trouxe de volta. Ele foi testando minha fé infantil e aperfeiçoando-a, até que o amadurecimento fosse chegando paulatinamente, firmado em cada passo dado no passado e presente.

É por isso que eu creio. Porque olho para minha vida e vejo um verdadeiro MILAGRE. Um milagre porque, ao olhar pra tudo o que já houve, não havia NADA em mim que pudesse ter me conduzido até aqui. NADA. Nem mesmo a vontade de dar o primeiro passo veio de mim mesma, quanto mais a capacidade de ser convencida e capacitada a mudar o rumo e recomeçar continuamente. Tudo o que houve foi Ele quem fez. Tudo poderia ter acabado por tantas vezes. Eu me desviei do caminho tantas vezes. Mas Ele continuava lá. Cada “coincidência” era mão dEle. Cada “desastre” era também a mão dEle – livrando-me do que estava por vir.

Não fui EU. Em momento nenhum, como não sou EU agora. Foi ELE e é ELE. Porque eu nunca fui e nunca serei capaz em minhas próprias forças. Porque eu sequer merecia a Ele, pois a verdade é que eu nem O queria de fato e rejeitava a ideia de abrir mão de meus prazeres por causa dEle. E é por essa consciência que eu creio. Sim, eu creio porque Ele me deu FÉ, porque Ele abriu meu coração e olhos, apesar de mim mesma e de minha falta de merecimento. Creio porque a história, sem Ele, seria tão trágica – a menina sem identidade, sem saber nem quem era nem para onde estava indo, a menina que queria se sentir amada e queria ter amigos. E como a história poderia ter se transformado no que é hoje sem ELE? Como poderia haver tanto amor e alegria e sonhos se tudo isso não fosse milagre DELE? Se fosse só EU na história? Não. Não poderia. Seria demais para quem não tinha forças nem mesmo para descobrir-se a si mesma. E hoje as coisas são como são.  Isso é BONDADE. Isso é AMOR. Isso é GRAÇA.

Creio porque minha vida e minha história são um milagre DELE. Porque continua sendo. Porque só estou de pé ainda por causa de Sua graça tão grande, pois continuo pequena e frágil. Continuo “erva do campo”. Mas ELE continua sendo DEUS – Aquele que já ERA antes de todas as coisas, Aquele que fundou tudo o que há, Aquele que É e SEMPRE SERÁ, Aquele em cujas mãos está toda a Criação e toda a História, Aquele que é TUDO em TODOS. Ele continua sendo DEUS, e eu continuo sendo HUMANA. Mas Ele ainda insiste em continuar essa obra incompreensível e indescritível em minha vida. E Ele ainda tem tantas histórias assim para realizar em tantas vidas. Basta crer.

“Pois eu tenho por certo isto, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo” (Filipenses 1.6)

É por isso que eu creio.

A ti seja a glória, Pai, por Sua tão grandiosa graça, manifesta em Jesus, e por continuar derramando-a sobre mim. Tudo é Teu!

10 comentários:

Murielle disse...

OOOOOOOOOOOOOOOOOOOUWWWWWWWNNNNNNN,
seuuuu testemunhooo, mana ? aaaaain, GLÓRIAAAA A DEUS PELA SUA VIDA, por você ter sido resgatada da sua cegueira e apatia espiritual. GRAÇAS A DEUS, porque hoje Cristo habita em ti e tem realizado uma obra linda na sua vida, que é tão preciosaaaa!!!!!!!!!!!!

EU TE AMO !!!!

Aline Ramos disse...

Ownnnn.. minha mana caçula linda do peito!!! ^^ Você faz parte dessa obra inacreditável de Deus em minha vida também!! Como pensar que todas as maravilhas que tem acontecido (como tambem os aprendizados provenientes dos momentos dificeis) não são obra do nosso Pai? Somente Ele poderia fazer coisas assim! E preciso muito dEle pra que a história continue sendo bonita... nós precisamos, né? Mas: "aquele que começou a boa obra em vós a aperfeiçoará até o dia de Jesus Cristo" (Fp. 1.6). Essa é nossa esperança!

TE AMO!!! *-*

Hânycka disse...

A paz querida Aline...
Nossa, muito bom ver que Deus ele faz as transformações em nós para que possamos também ajudar a outros...e assim Deus deseja que todos façam parte de uma única família.
Como é belo ver como Deus nos liberta das nossas ilusões para que possamos experimentar a plenitude de sua obra em nossos dias, é maravilhoso!
Querida que Deus te abençoe cada dia mais...!!!
Um grande abraço flor

Thais disse...

Olá! Quero te convidar para participar da nova blogagem coletiva do http://mosaicodereflexoes.blogspot.com/2012/02/5-tema-que-historias-seu-corpo-conta.html

"Que histórias seu corpo conta?"

Tudo o que vc vive fica marcado em vc. Na sua mente, no seu coração, na sua alma, no seu corpo. Não importa se vc acredita que seu corpo é parte inseparável do seu ser ou que ele é apenas um veículo para essa existência: ele é a testemunha e o companheiro da sua vida.

Queremos saber que histórias o seu corpo conta sobre vc. Escreva (e, se quiser, fotografe ou filme) as histórias de cada traço físico seu e o que eles dizem sobre quem vc é. Afinal, um corpo não é somente algo para ser visto: para ser apreciado como merece, ele deve ser lido.

lobo disse...

o inicio até pareceu minha vida, com a diferença que eu sou homem, nunca dei trabalho pros pais, nunca fui em baladas, nunca sai com uma moça (tanto que sou virgem até hoje, mesmo tendo mais de 20 anos) era estudioso e católico

a diferença é que eu não tive esse encontro com Deus, digo, acampamento onde há pastores pregando, aconteceu no meu quarto, sozinho, eu sei que aquela enorme tristeza que depois foi convertida numa alegria sobrenatural enquanto eu orava sozinho no quarto não foi iniciativa minha, até porque veio de repente, de surpresa

apesar de achar difícil de acreditar em toda teologia calvinista, eu também não creio que Deus depende de nós pra fazer algo, como se Ele não tivesse controle e a escolha fosse nossa, mas deixando de lado um pouco a teologia, eu sei que não foi eu que escolhi

apesar da maioria dos que não gostam de discutir teologia pendem pro arminianismo, eu não pendo pra nenhum dos lados, só tenho certeza da soberania de Deus

Kori disse...

Ohhh texto gostoso de se ler...

Quê lindo! Fico tão feliz em ver o trabalhar de Deus na vida das pessoas!

Louvo a Deus pela sua vida!!!

Que Ele continue te abençoando muito e cumprindo a vontade Dele na sua vida!

Um beijo no seu coração!

Aline Ramos disse...

Hânycka, querida!! Muito obrigada pela força! De fato, a obra de Deus nas vidas de seres humanos tão limitados como nós é algo majestoso! De fato, Ele é o Único digno de toda a glória e louvor!!! Ele continue a guiar sua vida e escrever uma linda história em você tbm!!!

Thais, obrigada por sua visita também! Tenho estado um pouco ausente daqui, bem como de outros blogs, mas espero poder voltar a estar mais presente em breve. Paz do Senhor em sua vida!

Aline Ramos disse...

Lobo!! Quanto tempo, não é? Desculpe a demora em responder.
Muitas semelhanças em nossas vidas, não é? Mas a obra de Deus revela sempre isso: a grandeza dEle e nossa pequenez. Se pararmos para meditar, com sinceridade, em quanto podemos fazer por nós mesmos, não tem como não percebemos quão pouco isso é. Dependemos do nosso Pai - e vivemos através dEle somente!
É uma pena que muitas pessoas ignorem ou menosprezem ou se impeçam de refletir e crer e magnificar a soberania de Deus na vida e em tudo, simplesmente porque a teologia calvinista fala sobre isso. Então, passa-se a valorizar mais esta ou aquela corrente teológica, ao invés de aquilo que Deus é de fato e o que Sua Palavra, bem como Sua ação na história, mostram. Muito, muito triste. Não é teologia o que devemos defender e pelo que devemos lutar - mas pela Palavra de Deus e Sua revelação, os atributos dEle e SUA GLÓRIA! Tudo objetiva, no fim, a GLORIFICAÇÃO desse Deus MAGNÍFICO!

Que o Espírito Santo do Senhor, em sua vida, continue a guardar e guiar seus passos, com luz, verdade, coragem e força para perseverar! Obrigada pela presença sempre, meu irmão! Abraço!

Aline Ramos disse...

Kori, muito obrigada pelo carinho, querida!! Sua vida seja sempre edificada no Senhor e para Ele! A Cristo somente a honra e glória! Beijo grande em seu coração também!! ^^

lobo disse...

Aline, tudo bem, eu mesmo demorei pra te responder, tava ocupado com algumas coisas e nos últimos não visitei nem esse nem os outros blogs que eu visito.

Pela sua resposta, acho que é necessário deixar uma réplica só pra não ficar mal entendido.
Eu não sou anticalvinismo, não acredito que o que o calvinismo prega seja errado, pelo que li tem muita coisa que faz sentido, só não sei se tudo faz sentido porque não sei toda teoria, só o básico daqueles 5 pontos.

Eu apenas não gosto desses rótulos "arminianos" e "calvinistas", cria uma rivalidade, e mesmo que um lado esteja certo e o outro errado, eu prefiro ser chamado de cristão, porque "arminiano" dá impressão que eu sou seguidor de Arminio e não de Cristo, o mesmo com "calvinista" e Calvino, por isso prefiro o termo cristão.

Mas sim, acredito na soberania de Deus e que ele não depende da decisão do homem e do "livre arbitrio" pra fazer o que Ele quer, posso estar errado, por isso mesmo eu sempre tento aprender e descobrir mais e mais a verdade, porque como dizem, quem acha que já sabe tudo para de aprender.
Ao menos que a vontade e a soberania de Deus está acima da vontade dos humanos isso eu acredito que eu estou certo.

no mais, espero que não tenha ficado mal entendido, não sou nem arminiano nem calvinista, não acho errado alguém se rotular assim pra defender sua opinião, mas eu particularmente não gostaria de ser chamado nem de um nem de outro, obrigado pela resposta, sempre continuarei passando por aqui

Deus te abençoe
abraços!