sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Amigos, esperanças e desesperanças...





Mas reservarei em Israel sete mil homens, que não dobraram os joelhos diante de Baal, e cujos lábios não o beijaram.

1 Reis 19:18

 "Mas reservarei em Israel sete mil homens, que não dobraram os joelhos diante de Baal, e cujos lábios não o beijaram" (1 Reis 19.18)

Mas reservarei em Israel sete mil homens, que não dobraram os joelhos diante de Baal, e cujos lábios não o beijaram.

1 Reis 19:18


Tenho voltado a refletir, nos últimos dias, sobre a importância e necessidade de boas amizades em nossas vidas. 

Lembro-me da época em que os blogs cristãos explodiram na internet brasileira. Há uns 5 ou 6 anos criei o Sonhando na Contramão e, alguns anos depois, o Mulheres Virtuosas, e lembro quantos amigos preciosos fiz através desses instrumentos. Acompanhávamos as reflexões uns dos outros, nos reconhecíamos nas lutas uns dos outros, sentíamos que não estávamos sozinhos, tínhamos tanto a compartilhar, e aquilo inundava nossos corações de alegria e de desejos, de sonhos, de esperança, de vontade de participar da transformação desse mundo, da nossa geração e das gerações futuras. Que tempo incrível! Confesso que ainda olho para ele como o período áureo da minha vida cristã! Que paixão! Quando penso em Apocalipse falando do Primeiro Amor, lembro dessa fase, além da época da conversão (porém, esta, um pouco mais imatura).

Porém, 5 anos depois, lembrando das conversas tão edificantes e apaixonadas por Deus que eu tinha com tantas pessoas, meu coração entristece pois vê quão poucas delas permanecem ainda hoje. Quantas ficaram no caminho. Algumas simplesmente cansaram e acomodaram, outras foram sufocadas pelos tantos compromissos deste mundo e assim esfriaram, outras se frustraram e abandonaram a fé e escolheram o mundo... Lembro dos grandes sonhos que sonhávamos juntos, sonhos de mudar o mundo, de entregar nossas vidas, de santidade radical, de entrega... e vejo quantos desses sonhos morreram. Quantas daquelas pessoas com quem eu sonhava, hoje já não sonham mais – ou não com aquele brilho no olhar.

E eu confesso que todo esse quadro me deixou tão desanimada, mesmo desesperançosa. Quantas vezes parei para questionar se tudo isso que construí, ou que acredito que Deus esteve construindo em minha vida nos últimos anos, não é castelo de areia, que o mar vai bater e vai levar, que o vento vai acabar destruindo, porque não é castelo de verdade, é só areia. Eu me chocava ao ver jovens cristãos assustados ao saber que, aos 27, eu nunca havia namorado, mas não de uma maneira positiva, mas daquela maneira “Qual o problema dela?”. Me chocava ao vê-los tratando o relacionamento amoroso cristão de qualquer maneira. Me chocava ao vê-los não se importando em tornar-se cada vez mais parecidos com o mundo. E eu desanimei. Entristeci. Me senti só. Meus companheiros já não estavam comigo, alguns porque começaram relacionamentos e precisaram afastar, outros por causa da vida corrida de trabalho e compromissos (como eu!), outros porque simplesmente já não acreditavam no que acreditávamos no passado... o fato é que passaram. E, eu não percebia mas, é tão difícil nadar contra a maré sozinho. Parece que ela sempre será mais forte que a gente.

Mas, então, nos últimos dias, Deus me abençoou com momentos tão preciosos. Como quando Elias desesperou ao ver que os profetas de Baal só se multiplicavam, enquanto os profetas do Senhor Deus desapareciam cada dia mais, e ele se sentiu sozinho diante de uma batalha tão maior do que ele, e quis desistir, e quis ir embora, e quis abrir mão de sua própria vida, pois parecia não haver mais esperança; naquele momento, Deus o levou a uma caverna, tratou da sua dor, falou com ele e lhe revelou que ainda havia um remanescente que também não havia se rendido a Baal. Ele não estava sozinho! Mesmo que não pudesse ver.

Acho que passei por essa experiência de Elias, nos últimos meses. E dois amigos muito especiais em minha vida foram as pessoas usadas por Deus para me mostrar que eu não preciso desistir, que ainda há guerreiros espalhados por aí, crendo e lutando, e fazendo parte da minha história. Duas pessoas que começaram essa caminhada ao meu lado, há uns 5 anos, através deste blog, e que, pela graça de Deus, nunca mais saíram da minha vida – e ainda hoje são usados pelo Pai para continuar me abençoando e fortalecendo minha fé: Lívia Eller, minha mana linda e minha amiga virtuosa de Volta Redonda/RJ, e Lucas Louback, esse guerreiro de Deus, também lá do Rio de Janeiro, a quem sou grata por poder chamar de amigo e que tem me mostrado uma fé tão genuína e um exemplo de vida rendida ao Senhor e usada por Ele. Que tesouro olhar para suas vidas!

Quando estive me deixando convencer de que deveria ou poderia reduzir meus padrões de relacionamento e que poderia me aproximar sem tanto cuidado de um certo rapaz, lá estava minha companheira, Lívia, andando com Deus, ouvindo de Deus, refletindo, aprendendo e me lembrando dos padrões que juntas aprendemos do Pai e sendo minha força para decidir pelos caminhos certos e, principalmente, para realmente crer que eles são os melhores – infinitamente melhores – caminhos. Lembro quando nos conhecemos e lá estava ela pedindo conselhos sobre relacionamento. E hoje é minha conselheira linda e inspirada por Deus! Sua perseverança, seu amor por Cristo, seu desejo de honra-Lo com sua vida, de ser guiada por Ele e de sempre optar pelos caminhos que vêm dEle foram a inspiração que eu precisava! Me fizeram desejar todas essas coisas de volta para minha vida e não desacreditar do valor precioso de ser uma Mulher Virtuosa. Ela tem sido meu exemplo de Mulher Virtuosa - lutando para sê-lo. Essa é a parte tremenda dos relacionamentos cristãos: quando um está fraco, o outro está forte, e assim fortalecemos um ao outro. Graça.

E quando eu passei um ano quase inteiro questionando sobre meu chamado, minha missão, tentando entendê-la e ter fé suficiente para seguir a direção do Pai, seja ela qual for, olho para a vida do Lucas, enfrentando algumas dificuldades tão grandes, que poderiam ter afetado sua fé, e o vejo tão firme, crescendo em Deus, tendo seu chamado tão confirmado e sua vida tão direcionada, sendo usado de maneira tão bonita pelo Pai e, poxa vida, como isso alegra e enche de esperança meu coração! Olho para sua vida e minha fé no futuro é fortalecida, de que o Senhor também me guiará rumo à Sua vontade!

Que preciosas são as boas amizades! Aquelas amizades que refletem a Cristo, à graça de Deus, ao Seu poder, soberania, santidade, pureza; que nos aproximam dEle, que nos fazem deseja-Lo mais e amá-Lo mais; que O tornam mais precioso aos nossos olhos e corações! Ah... elas são oásis em meio ao deserto desta vida! São instrumentos pelas quais Deus se torna nosso refúgio e nossa fortaleza! Precisamos delas! Lutemos por elas! Tiremos tempo para cultivá-las e desfrutá-las, tempo para conversar com pessoas assim, para ouvi-las, para nos confessarmos, para deixar Deus trabalhar em nós. Precisamos disso! 

E meu desejo é estimular a cada um que, no meio deste mundo louco em que vivemos, das vidas corridas e dos tempos sempre tão preenchidos por coisas que nos cansam, nos abatem e esfriam nossa fé, a encontrar essas pessoas de Deus, cristãos genuínos e apaixonados pelo Senhor, inconformados com este mundo, e a ter tempo com eles. Abrir mão de uma noite de trabalho para ouvi-los. Porque assim estava minha vida, corrida e estressante e, assim, quase sem esperança, mas encontrar essas pessoas, mesmo a distância, mesmo com menos tempo do que realmente gostaria, e saber de suas vidas, foi um dos grandes instrumentos que o Senhor usou para fortalecer a minha fé!

Nosso Pai nos dê amigos-irmãos, para Sua glória!

3 comentários:

Kesley Siqueira disse...

Aline eu não desisti. Estamos juntas nessa jornada de fé. É uma benção saber que você voltou a escrever; já me peguei como você me lembrando como eu era tão mais entusiasmada por esses "sonhos" de transformar o mundo e sabe de uma coisa? Deus tem renovado o primeiro amor, trazido o mesmo vigor e brilhos dos sonhos de outrora. Sonhos que não são sonhos, são seus planos para nós: a santidade, a piedade, a paixão pelas almas perdidas, o amor pelo próximo.

É incrível como nossos caminhos de percepção e sentimentos se encontram, não é a toa; é nosso Pai dizendo: Eu reservei um remanescentes e Eu brilharei neles.

Deus é conosco :)

Aline Ramos disse...

Kesley!!!!! Meu amor, que presente vc por aqui!!! AMÉM E AMÉM!!! Sinto exatamente o mesmo, amiga! Renovação de Deus! Renovação do amor!! E vc certamente é um dos remanescentes em minha história! Como louvo a Deus por isso!! Sua companhia tbm é refrigério! Que nosso Pai tão gracioso nunca nos deixe afastar de seus planos eternos para nós! Amo vc, princesa!!! Precisamos conversar!!! :***

António Jesus Batalha disse...

Passando pela net encontrei o seu blog, estive a folhear achei-o muito bom, feito com muito bom gosto.
Tenho um blog que gostava que conhecesse. O Peregrino E Servo.
PS. Se desejar fazer parte dos meus amigos virtuais faça-o de forma a que eu possa encontrar o seu blog para o seguir também.
Que haja paz e saúde no seu lar.
Com votos de saúde e de grandes vitórias.
Sou António Batalha.
http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/