quinta-feira, 6 de maio de 2010

Apresento-vos MEU FILHO (e minhas lições de Auxiliadora e Mãe!) xD

Hey, girls!!! :D (and guys too!! =P)

Poxa, quanto tempo que não escrevo aqui! Não por falta de vontade, mas um pouco por falta de tempo, outro pouco por não ter havido nenhum direcionamento específico de Deus durante esse tempo. Mas, pela Graça do Pai, nos últimos dias tenho tido tantas coisas pra escrever aqui! Coisas sobre nós e para nós, mulheres, sobre as quais gosto tanto de falar! Me faz muito bem mesmo falar sobre o que tenho aprendido no meu caminhar rumo ao propósito de Deus pra minha feminilidade.

Quero falar sobre Pureza e Romance, sobre Modéstia e Feminilidade, sobre Família, sobre Minha Vida na Cozinha (hehehe) e muitas coisas mais. Mas, como não dá pra escrever sobre tudo ao mesmo tempo, resolvi selecionar dois temas muito importantes, que estão interligados, e que representam dois acontecimentos especiais dessa semana: os temas são Missão de Auxiliadora e Maternidade, e os acontecimentos são o Aniversário de meu Dad-Príncipe (que foi dia 04 de Maio agora) e o Dia das Mães, é claro.

E, para falar sobre isso, apresento a vocês a maior novidade da minha vida nos últimos meses: MEU FILHO! Pois é, agora eu tenho um filho! E é através dele, principalmente, que o Senhor tem ministrado tão fortemente sobre esses dois assuntos na minha vida.

Aí está o meu bebê: Pingo Silva Ramos!!! rsrsrs.. Meu mozão, o Dálmata mais lindo do mundoo!! xD


Então, na verdade o Pingo já é parte da Família Ramos há quase 13 anos (é, meu amor tá velhinho!! :( Mas nem parece, né?), mas durante a maior parte desse tempo eu nunca tive quase nenhum contato com ele. Provavelmente tem uns 11 anos que eu não tinha nenhum contato com ele, a não ser pela janela da cozinha, porque tinha medo dele. Sempre foram meu irmão e meu pai que cuidavam dele, e mais ninguém. Ele tinha uma "esposa" (nem sei se dá pra dizer isso! rsrs) e um filhote, mas os dois morreram e ele ficou só. Até então, o Pingo não fazia nenhuma diferença pra mim, ainda que eu "gostasse" dele, já que ele só ficava no quintal de casa e eu nunca ia lá quando ele tava solto.

Porém, há uns 2 a 3 meses, o Pingo ficou doente. Ele já estava doente há mais tempo, com dificuldade pra andar sozinho, mas nos últimos 3 meses isso piorou muito. E ele parou de andar, por vários motivos. Ele não consegue mais levantar sozinho, e nem andar sem a ajuda de alguém. E vocês podem imaginar como tem sido a vida dele desse jeito: ele faz xixi deitado e fica todo molhado, esperando alguém pra levantá-lo, sente dor nas patas em função de ficar muito tempo sem se movimentar, não consegue ir atrás de água ou comida quando tem sede ou fome, e só come ou bebe se alguém colocar comida e água pra ele, não consegue se virar sozinho, enfim. E foi exatamente isso o que me aproximou do Pingo!

Creio mesmo que isso foi coisa de Deus! Na verdade, não tenho dúvida disso. Digo a Deus que Ele me deu uma chance de aprender com o último dos nossos cachorros, quando os outros dois morreram e eu não pude sentir nada, nem um pouco da dor de perdê-los, como meu irmão sentiu e chegou a ficar deprimido. Mas Deus me deu mais uma oportunidade - uma oportunidade de me ensinar tantas coisas através do Pingo.

Uma das primeiras coisas que aprendi com ele foi sobre simplicidade. Tenho percebido o quanto os cachorros (não sei se todos, mas o meu bebê sem dúvida! xD) são parecidos com as crianças. Logo quando me aproximei do Pingo e passei a cuidar dele, fiquei pensando sobre o quanto nunca dei bola pra ele durante 11 anos, e como, quando resolvi me aproximar, ele nunca me tratou mal ou ficou desconfiado comigo por causa disso. Parece uma coisa tão boba de pensar, não é? rs. Mas devia ser o Espírito Santo querendo me ensianar sobre como eu tenho dificuldades de perdoar, de esquecer o mal que as pessoas me fazem e dar uma nova chance - de verdade - a elas. Eu levei 11 anos pra descobrir o Pingo, mas ainda assim não houve restrições em sua recepção a mim. (Desculpem se eu sou tão sensível assim, mas não é exagero, realmente essa experiência tem feito muita diferença na minha vida! heheh). A verdade é que o carinho que um animal nos passa, tão desinteressado, sincero, livre de julgamentos e de cobranças é tão diferente do carinho que a maioria das pessoas costuma passar. Isso é tão triste. Nós que nos achamos tão superiores a todas as criaturas da terra deveríamos parar e aprender um pouco mais com eles.

A segunda experiência, linda, que tenho tido com o Pingo é sobre ser Mãe. Taí outra coisa na qual acredito profundamente: que o Senhor está me ensinando um pouquinho do que é ser mãe através da doença do meu cachorro. Hoje, sou eu, e meu pai, quem mais cuida do Pingo em casa. Até mesmo meu irmão, que cuidou dele a vida inteira, não está mais cuidando dele. E quantas coisas tenho aprendido com isso. A situação do Pingo hoje é exatamente como a de uma criança recém-nascida: tudo que ele quer ele chora, tudo que ele precisa tem que pedir dos outros (chorando), e a gente (eu e meu pai) precisando aprender a decifrar cada um de seus choros e suas necessidades. Cada vez que o Pingo está chorando e eu preciso ir lá com ele, descobrir o que ele quer, fico pensando em como, um dia, vou passar por isso com cada um dos meus filhos, aflita por vê-los chorando e não saber porquê, não saber o que fazer, e do como vou acabar aprendendo cada uma dessas coisas. Eu não sei explicar a ligação que acabei criando com o Pingo, só sei que é algo forte demais. Por isso acho que estou aprendendo a ser mãe. Fico arrasada quando ele tá com dor e fica a noite toda chorando. Fico arrasada quando as pessoas não tem paciência e ficam brigando com ele. Fico arrasada de vê-lo molhado de xixi, sem conseguir levantar e, muitas vezes, sem ninguém pra ajudá-lo. Sofro com ele. Deve ser porque ele é tão lindo!!! xD (Digam a verdade, ele não é o Dálmata mais lindo que vocês já viram? Sempre achei que ele tinha cara de cachorro de capa de revista!! heheh). Mas, além de lindo, ele é também tão amigo, tão fofo, meigo, dengoso... #) Não sei, é meu filho mesmo!! rsrs. E uma coisa incrível que aconteceu nesses 2 a 3 meses que tenho cuidado dele é que, hoje, eu já sei identificar com tanta facilidade o que ele quer, porquê está chorando! Sei quando ele está com fome ou sede, quando ele quer fazer xixi ou cocô, quando quer virar de lado, quando quer ir pro canto dele. Isso é incrível! Outra coisa incrível é como me faz bem cuidar dele. Às vezes chego do trabalho super cansada, muitas vezes já 22h e pouco, mas nunca falta energia pra cuidar dele! Normalmente chego do trabalho, às vezes troco logo de roupa, como alguma coisa, mas logo vou ver como ele está. Numa época em que ele tava chorando muito, quase o dia inteiro, eu já chegava da rua procurando ouvir se ele tava chorando ou não. Eu dormia atenta pra ver quando ele chorava, se estava chovendo ou não pra ele não se molhar, etc e tal. E quantas vezes fiquei horas sentada ao lado dele, quando ele tava com dor e ficava chorando, sem conseguir dormir, só fazendo carinho e conversando com ele. Eu ia dormir 01 e pouco da manhã, só xixi do Pingo (rsrs), mas feliz por estar cuidando dele!! E como agradeço a Deus por essa experiência! Sei que não será fácil ser mãe, mas que também será extremamente prazeroso! Se é possível amar dessa forma um cachorro, como será com meus próprios filhos?!

E a terceira grande lição que tenho aprendido é sobre meu papel como Auxiliadora. Antes de tudo isso acontecer, eu estava lendo um livro "Conte Comigo", da Wanda de Assumpção, que fala exatamente sobre o papel de Ajudadora das mulheres. E Deus me deu a oportunidade de viver isso na prática, hoje mesmo, ainda que eu não seja casada. Tenho tido a honra, o prazer, a dádiva de ser a Ajudadora de meu pai! Puxa, como isso tem me feito bem! Eu já falei muitas vezes do quanto meu pai é uma pessoa incrível! Admiro tanto meu pai, como pessoa, como homem, como marido, filho, irmão, pai! E, como mencionei, quam sempre cuidou dos cachorros de casa foram meu pai e meu irmão. Mas, nesse período que o Pingo ficou doente, meu irmão começou a trabalhar e, com a faculdade, passa o dia inteiro fora de casa, então, todo o peso da responsabilidade com o Pingo ficou sobre o meu pai. E, pensando na situação em que o pingo se encontra hoje, não é uma responsabilidade pequena! Até uns 15 dias atrás, o pingo estava tão mal que passava quase o dia inteiro chorando - e ninguém sabia exatamente o porquê. Ele chorava a madrugada inteira, e o choro dele não é nem um pouco discreto, é extremamente escandaloso! Foi um tempo muito difícil! Meu pai estava esgotado, sem saber mais o que fazer, principalmente porque ninguém em casa tinha paciência com a situação, e todos acabavam jogando a culpa de "não dormir direito", ou de ter que ficar ouvindo o pingo latir o dia todo, nele. Foi quando o Senhor fez o que fez comigo e, graças a Ele, pude começar a ajudar o meu pai. Existe algo que eu sempre vi no meu pai, no meio de toda essa situação: a paciência que ele tinha com o pingo, a preocupação com o sofrimento dele e o carinho por ele. A situação chegou a um nível que todos em casa se reuniram e decidiram que deveríamos sacrificar o pingo! Todos diziam que deveríamos fazer isso "porque ele estava sofrendo muito", mas a verdade é que nenhum deles tinha paciência de aguentar os choros dele, que os estavam incomodando demais. Meu pai também chegou a aceitar a idéia de sacrificá-lo, mas ele era a única pessoa que realmente tinha paciência com o pingo e se importava com o sofrimento dele. Quantas vezes meu pai passou a madrugada inteira levantando pra cuidar do pingo, e eu nunca o vi tratando-o mal, gritando com ele ou se estressando! Meu pai será um grande avô! :D E eu recebi a missão, e o prazer, de poder lhe ajudar em toda essa pressão com o pingo. A idéia de sacrificar o Pingo foi terrível pra mim! Nunca imaginei que poderia me apegar tanto e sofrer tanto com a idéia de matar um animal! Mas eu já chorei tanto por causa disso! E meu pai, lindo como sempre, não simplesmente tomou a decisão por estar sendo pressionado por todo mundo, ele se preocupou comigo, com minha dor, e somente disse que não tinha mais condições de fazer qualquer coisa pelo pingo, que estava cansado e precisando de ajuda. E passamos a ser uma dupla. Temos trabalhado juntos, e estamos lutando juntos agora pela vida e saúde do pingo. Já o levamos em vários veterinários, e os melhores disseram que existe a possibilidade dele voltar a andar! Como meu pai está mais aliviado, mais satisfeito e feliz por ver a recuperação do pingo, e probabilidades dele melhorar ainda mais. Nós passamos o dia inteiro trabalhando juntos nisso - decidimos o que ele vai comer, discutimos sobre o porquê dele estar chorando, saímos pra levá-lo no veterinário juntos, fazemos planos sobre as "sessões de fisioterapia" dele, compramos ração pra ele juntos, e tantas coisas mais.

Então, sim, eu não tenho dúvidas de que Deus tem muitos propósitos por ter colocado o Pingo no meu coração neste momento da vida dele - e da minha. Tenho podido ver, pessoalmente, a necessidade que um homem tem de ter uma mulher que o apoie, o incentive, diga a ele do quanto seu empenho está sendo importante, do quanto o admira por sua dedicação, ajude-o nas pequenas tarefas, converse com ele e seja realmente sua AUXILIADORA. Tenho visto isso de forma tão clara na vida do meu pai. E também tenho experimentado o quanto é bom, satisfatório e lindo ser essa Ajudadora! Me sinto TÃO FELIZ por poder ajudar meu pai! Isso já vinha acontecendo em algumas outras coisas, como fazer o supermercado de casa, providenciar almoço quando falta ou no fim de semana, pagar contas de casa, e outras coisas que sempre sobravam só pra ele fazer, mas essa experiência com o pingo tem sido algo maravilhoso na minha relação com ele. E, acima de tudo, tem me feito admirá-lo ainda mais do que sempre o admirei - que grande homem meu pai é! Agradeço muito a Deus por poder diminuir um pouco o fardo que sempre esteve sobre as costas dele, e poder ser algo bom em sua vida. Espero que ele também sinta assim.

Assim, essas são algumas das coisas que tenho aprendido, pela Graça do Pai, nesses últimos meses "in off". Agradeço infinitamente ao Senhor por estar me ensinando tanto sobre os papéis tão importantes que receberei no futuro - de Mãe e de Auxiliadora. Que todas essas experiências possam resultar em frutos de benção e honra ao Senhor unicamente! Não deixemos de nos preparar para o que Deus está preparando para nosso futuro!

Com carinho e saudades daqui... =P

Aline! ;)

2 comentários:

Adoradora de Cristo disse...

Que máximo!!!
Sendo assim poderei desejar-te um feliz dia das mães hehe bjs

Aline Ramos disse...

hahahah... Simm!! Meu primeiro dia das mães!! hahah... Só não ganhei presente já que meu bebê não tem muitas possibilidades pra isso!! rsrs... Mas ele já tem me dado muitos presentes durante esse tempo! =P

Saudades de ti, mana!!